Os carros que se dirigem sozinhos, sem precisar de um motorista humano presente ou atento a todo momento, devem ser disponibilizados ao consumidor somente nos próximos cinco anos. É isso que acredita a montadora Ford, de acordo com uma fala feita em São Paulo no Seminário Pesquisa e Avanço em Segurança Veicular.

Segundo o chefe do Centro de Pesquisa e Engenharia Avançada da Ford, Thomas Lukaszewicz, a evolução dos sistemas de assistência ao motorista, assistência em congestionamentos e estacionamento abre o caminho para esse sonho. A chegada dessa tecnologia depende ainda de mapas de alta definição e a infraestrutura adequada.

Só que é preciso ter calma: segundo uma pesquisa feita neste ano pela Ford, a segurança ocupa o topo da lista na preocupação dos consumidores, com 95,7% das preferências. Além de segurança para o motorista e passageiros, pesquisas para reduzir o consumo de combustível e emissões de poluentes são feitas paralelamente para serem aplicadas nos automóveis do futuro.

Onde estamos no momento

Os atuais carros da Ford já possuem equipamentos avançados para tornar a direção mais segura e inteligente — os chamados "sistemas semiautônomos". O Focus e o Fusion são os principais modelos que estreiam tecnologias do segmento, mas alguns modelos de entrada (como o Ka) também já possuem novidades.

A Ford destaca também a conectividade, seja comunicação veículo-a-veículo (V2V) ou veículo-a-infraestrutura (V2I), usando a tecnologia W-LAN e rede de celular. O sistema de estacionamento totalmente automático é outro avanço de segurança e conveniência. Em vagas muito apertadas, ele permite que o motorista saia do veículo e o veja estacionar sozinho, acionando o controle remoto.

Já o sistema avançado de iluminação baseado em câmera desenvolvido pela Ford se adapta a cada situação para oferecer máxima visibilidade, reconhecendo a luz ambiente e ajustando sozinho o ângulo e a intensidade dos faróis de acordo com vários fatores.

Será que o futuro será dominado por carros autônomos? Comente no Fórum do TecMundo