Para diminuir a ocorrência de acidentes de trânsito, alguns estados norte-americanos estão aprovando leis que exigem o uso de sistemas de direção baseados na voz. No entanto, um estudo da AAA Foundation para Segurança no Trânsito mostra que muitas das soluções do tipo disponíveis no mercado servem mais como uma distração do que como um auxílio.

Conduzida pela Universidade de Utah, a pesquisa se concentrou nos sistemas de carros que dependem de smartphones para entregar informações e entretenimento. Os 65 participantes tiveram que ligar para contatos, mudar de músicas, discar números e enviar mensagens de texto usando comandos de voz através da Siri, da Cortana e do Google Now.

Entre eles, o sistema da Google foi julgado o menos problemático, enquanto a solução da Microsoft foi a que mais gerou distrações. No entanto, todos os softwares avaliados apresentavam problemas notáveis que afetavam negativamente a atenção que os motoristas estavam dando ao trânsito.

Já a parte do estudo concentrada em sistemas próprios a automóveis mostrou que eles tendem a ser menos prejudiciais do que aqueles conectados a smartphones. Entre os modelos de carros avaliados, somente o Mazda6 apresentou uma solução capaz de prejudicar bastante a atenção dos motoristas.

Sistemas que distraem

Em geral, o estudo tem um resultado bastante preocupante: em alguns sistemas, o motorista pode se distrair até 27 segundos usando tecnologias baseadas na voz. Além disso, a prática com determinada solução não tinha efeitos sobre o tempo que uma pessoa deixava de dedicar sua atenção ao trânsito, e indivíduos mais velhos tinham mais dificuldades em dirigir enquanto lidavam com isso.

O chefe do grupo de pesquisas afirma que algumas adições novas ao sistema de entretenimento de carros estão tornando as coisas mais difíceis para donos de carros. A adição de várias opções baseadas na internet, voltadas a atrair os jovens, está contribuindo para que pessoas prestem menos atenção no que é importante, aumentando muito o risco da ocorrência de acidentes.

Você acha que assistentes de voz são indispensáveis? Comente no Fórum do TecMundo