O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) decidiu em reunião hoje (17/09) que o extintor de incêndio não será mais um item obrigatório em carros e caminhonetes. Essa novidade surge apenas 15 dias antes de entrar em vigor no país a norma que obrigava o uso de extintores do tipo ABC (de uso mais amplo). Originalmente, os extintores foram incluídos do “kit básico” do motorista em 1970.

A decisão foi tomada depois de uma reunião do Contran com várias empresas do setor automobilístico. Elas alegaram que a indústria de extintores precisaria de pelo menos mais quatro anos para conseguir atender a demanda de produtos do tipo ABC para evitar que os preços subissem astronomicamente.

Além disso, segundo dados da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva, a taxa de uso dos extintores em acidentes com fogo é ínfima, sendo que os motoristas raramente teriam a oportunidade de usar o equipamento. A associação diz que, no último ano, dos dois milhões de acidentes registrados em veículos cobertos por seguro, 800 tiveram o fogo como causa, mas somente 24 motoristas puderam usar o extintor.

O item ainda é obrigatório para veículos que transportam passageiros ou carga de qualquer natureza (caminhões, ônibus, micro-ônibus etc.).