Carros que se dirigem sozinhos estão cada vez mais em evidência e daqui a alguns anos devem até ganhar as ruas e estradas, mas quem disse que essa tecnologia precisa ficar apenas no uso casual? Designers italianos da ED criaram o Torq, um carro de corrida autônomo e elétrico que pode chegar a 330 km/h.

O visual é pouco convencional, tudo para que ele seja o mais aerodinâmico possível. Para começar, não há janelas, já que o motorista é eletrônico — o humano que controla o veículo enxerga tudo por uma tela que transmite o mundo exterior em 360º e, se quiser, assumir ele mesmo o volante.

Cada roda possui um motor elétrico e, no total, ele fornece mais energia até do que o Tesla S em killowatt-hora. Ele ainda é relativamente leve, pesando 1 tonelada. O grande destaque, como o próprio nome sugere, é o torque: a força do motor (ou seja, a resposta dele às acelerações do motorista) é de 1327 lb-ft, ou 183 kg-m, medida normalmente utilizada para essa variável no Brasil.

Condutor e robô interagem entre si por um sistema chamado Mobile Autonomous Automobile Laboratory, que não foi muito detalhado pelos designers. Além de desenvolver a própria tecnologia, se alguma montadora resolvesse fabricar de verdade o Torq seria necessário superar outro obstáculo: os fãs, que não abrem mão de pilotos de verdade e humanos controlando os veículos.