Você se lembra do Quant, o supercarro elétrico movido por reações produzidas por dois tanques contendo eletrólitos líquidos ionizados de forma diferente? A fabricante nanoFlowcell não para de surpreender e, durante o Geneva Motor Show de 2015, apresentou o segundo membro da família de automóveis do futuro.

Trata-se do Quant F, capaz de atingir 300 km/h (100 km/h em 2,8 segundos) sem grandes danos ao meio-ambiente, graças ao sistema de bateria de fluxo — uma série de reações eletroquímicas, como oxidação e redução, que juntas geram corrente elétrica e fazem o automóvel circular.

O modelo anterior, Quant E, foi aprovado para rodar em estradas dos Estados Unidos, mas deve ser utilizado somente como protótipo de pesquisa e exibição para montadoras. O Quant F é o grande alvo da fabricante: ele pode ser o primeiro modelo de luxo comercializado.

O Quant F pode rodar até 800 km sem precisar de recarga — e, quando essa hora chegar, ele é "abastecido" em somente cinco minutos em estações especializadas. Montar ou adaptar um local para isso é o grande desafio da nanoFlowcell, sendo também o principal argumento de quem não acredita na tecnologia. Ele tem espaço para quatro pessoas, LEDs externas que podem ser controladas pelo celular e um display frontal de 1,25 m para navegação, lazer e dados típicos do painel de um carro.

Quantino: menos luxuoso, ainda impressionante

A nanoFlowcell revelou também um modelo de menor custo, o Quantino. Com menor voltagem e tanques de tamanho diminuto, porém rodando por até 1.000 km, ele pode ser mais acessível para o consumidor geral — sem deixar de ter um visual futurista e bonito.

Ficou curioso? Clique aqui para conhecer um pouco mais do Quant e da tecnologia que move o veículo.