A companhia Ford está apostando em uma tecnologia que permite controlar carros há centenas de quilômetros de distância. Entretanto, se você pensava que era necessário aparatos avançados e tecnologia de ponta, saiba que está muito enganado, pois o dispositivo precisa apenas de dispositivos comuns e conexão 4G LTE.

Em entrevista concedida ao site Wired, Sudipto Aich sentou-se em uma mesa em seu escritório no Vale do Silício e demostrou como funciona o controle. Nos testes, foram utilizados três monitores, um volante e um pedal feito para jogos de corrida – semelhante aos que são utilizados em simuladores comuns para PC. Quando ele pisou no acelerador, “magicamente” um carrinho de golfe que estava estacionado a mais de 3,8 km do local começou a andar.

O sistema é um dos 25 “experimentos móveis” financiados pela Ford, os quais visam explorar as ideias que podem um dia aparecer nos carros.

Piloto remoto

Controlar carros remotamente é algo menos impressionante do que ensiná-los a se dirigirem sozinhos e se tornarem “inteligentes” – além de ser menos perigoso em um possível apocalipse tecnológico. Entretanto, ainda assim, eles são bem interessantes: como não é necessário programar em linhas de código, fica muito mais fácil não atropelar as velhinhas no meio da rua – é como se fosse um simulador real de direção.

Para evitar possíveis confusões, no teste exibido pela equipe de Aich, a Ford manteve um pessoal próximo ao estacionamento em que o carrinho de golfe estava. Assim, se a conexão caísse, eles poderiam operar o veículo tranquilamente e eliminar acidentes.

Uma realidade possível

Uma das vantagens do sistema de controle remoto é que ele não depende de novas tecnologias ou apetrechos caros. O controle utilizado no programa foi feito pela Logitech e custa menos de US$ 300 (aproximadamente R$ 780).

Todos os sensores podem ser encontrados nas prateleiras de lojas especializadas no assunto. Além disso, não é difícil ligá-los aos controles de veículos elétricos (assim como os carrinhos de golfe), portanto você não precisa de mecanismos físicos para girar o volante, acionar o freio ou o acelerador.

Outra vantagem do experimento, é que ele mostra o que pode ser feito com a tecnologia 4G LTE já existente. “Basicamente, essa é uma implementação de conectividade”, explica Mike Tinskey, diretor de eletrificação da Ford. “Não diria que seja algo primordial, porém [os testes] nos deram resultados encorajadores para utilização da infraestrutura existente”, complementa.

Mas quando usar?

Há diversas situações em que o controle remoto de carros pode ser útil, e a Ford está considerando algumas delas. Por exemplo, as empresas de aluguéis de carro poderiam utilizar o aparelho para movê-los no estacionamento; já os serviços de compartilhamento de veículos conseguiriam redistribuí-los quando eles ficassem presos em algum local lotado. Em outra situação, você desfrutaria de um valet 100% eficiente e que – em teoria – não bate nunca.