Durante a 10ª edição da feira Veículo Elétrico Latino-Americano, em São Paulo, a empresa chinesa BYD apresentou ao público brasileiro alguns de seus produtos que prometem dar opções atrativas para quem busca meios de transporte ecologicamente corretos. Na ocasião, a companhia exibiu seu automóvel elétrico movido com base em baterias recarregáveis de alta capacidade, o e6.

Uma mistura de sedã com SUV, o e6 é um veículo totalmente elétrico que conta com uma bateria de longa autonomia, capaz de rodar mais de 300 km com apenas uma recarga. Além da grande capacidade da bateria propriamente dita, isso é possibilitado por conta de um sistema de frenagem regenerativa, que fornece um pouco de força adicional ao carro sempre que os freios são acionados.

Segundo a fabricante, o tempo médio de recarga em uma residência com rede elétrica de 220 volts fica entre quatro e cinco horas. No entanto, a velocidade de reabastecimento completo da bateria pode ser acelerada para duas horas com o uso de um equipamento especial de alta potência, vendido separadamente pela BYD.

O ambiente agradece

Além da grande vantagem ambiental proporcionada pela emissão zero de poluentes pelo e6, outro ponto forte do carro é o seu baixo custo operacional. De acordo com dados da fabricante, o automóvel consome 19,5 kWh para cada 100 km andados, de forma que a estimativa de gastos fica em torno de apenas R$ 0,04 por quilômetro rodado – enquanto a gasolina fica em torno de R$ 0,97 por km.

Com velocidade máxima de 140 km/h, o veículo pode ser usado tanto no trânsito cotidiano das grandes cidades quando em vias de alta velocidade, como as estradas. O carro conta ainda com um torque de 450 Nm, podendo atingir 60 km/h em 7,69 segundos. Outra vantagem do automóvel é que, quando completamente recarregado, ele pode servir por mais de cinco dias como uma fonte reserva de energia para uma residência que consuma 12 kWh por dia.

De acordo com a BYD, o modelo já representa uma frota de 650 táxis públicos na China, onde acumularam 88,4 milhões de km rodados até julho de 2013. A empresa afirma que os veículos também podem operar em dois turnos por meio da combinação de uma recarga noturna completa e um carregamento complementar durante o dia, de forma que poderiam trabalhar por quase 24 horas.

Investimento pesado

O e6 atualmente está passando pelos processos de avaliação necessários para que as entidades governamentais brasileiras liberem sua venda no país, mas a BYD estima que o veículo deve ser liberado para comercialização nos próximos meses. A companhia atualmente está avaliando um bom local para instalar sua fábrica no Brasil e ainda está estudando se vai vender o produto por meio de concessionárias, showrooms ou pela internet.

Embora o preço final ainda não esteja completamente estabelecido, os representantes da empresa estimam que o e6 deve ser vendido por pouco menos e R$ 200 mil cada – o que certamente dificulta a compra por parte do público final. Com esse valor, o veículo se torna indicado apenas para quem faz uso intenso de carros, como taxistas, de forma que a economia com combustíveis eventualmente supere o pesado investimento inicial.