Desde sua estreia nos cinemas, nos idos de 1960, os carros voadores têm sido uma tecnologia muito esperada pelos entusiastas. Não é necessário nem explicar porque um veículo como esse lançado comercialmente seria incrível, mas o problema é que o futuro parece nunca chegar para essa categoria de veículos. Claro que há uma série de modelos que tentaram alcançar as expectativas que o cinema criou para os carros voadores, mas, até agora, a maioria não passa de “aviões portáteis” que não são lá grandes carros.

Isso poderia estar em vias de mudar com o desenvolvimento do GF7, o carro que você confere nas imagens. Ele conta com asas retráteis, uma turbina de jato e tem uma aparência híbrida entre carro e avião que parece ser mais eficiente para terra e para o ar que a maioria dos “concorrentes”. A turbina desse carro voador é uma adaptação de um motor aeronáutico tradicional de 3.500 lb. Isso garante uma altitude máxima de 12 mil metros e pode voar a 885 km/h. Obviamente, esse desempenho não se repete na estrada.

Você voaria nesse carro?

Antes de decolar

No chão, o carro roda com um motor elétrico e uma bateria de 50 kWh. Com isso, a máquina alcança 160 km/h a partir do zero entre 7 e 12 segundos. A autonomia é de até 193 km rodados com uma carga completa.

Ao voar, as rodas do carro são retraídas para dentro da fuselagem para não atrapalhar no desempenho no ar. Ao todo, até quatro pessoas podem viajar no GF7, mas com carga e ocupação total, o veículo precisaria de uma pista de, no mínimo, 760 m para decolagem e para pouso. Ou seja, para levantar voo, o carrinho precisaria de praticamente 1 km para concluir a decolagem em segurança. Nada prático.

Ainda não há protótipos do GF7 em funcionamento e a Airboss Aerospace, empresa responsável pelo projeto, ainda não tem uma ideia de quanto esse veículo pode custar e quando ele estará finalmente pronto. Será que dessa vez os carros voadores se “popularizam”?