(Fonte da imagem: Reprodução/Wired)

Embora muitos considerem que o primeiro carro desenvolvido pela Porsche foi o modelo 356, lançado em 1948, as raízes da empresa se encontram no longínquo ano de 1898, com o veículo elétrico “Egger-Lohner”, modelo C.2 Phaeton, também conhecido simplesmente como P1 — sigla que significa simplesmente “Porsche Número 1”.

Criado por Ferdinand Porsche, o veículo está entre os primeiros registrados em território austríaco e passou a circular pelas ruas de Viena no dia 26 de junho de 1898. Como a maioria dos “carros” da época, ele se tratava de uma espécie de carroça com um volante rudimentar que não usava um cavalo para se locomover.

O motor, localizado na parte traseira da invenção (uma das tradições da marca), pesava 130 quilos e possuía a potência de 3 cavalos — que podiam ser ampliados em até 2 cavalos adicionais graças ao modo “sobrecarga” criado por Ferdinand.

Capaz de alcançar uma velocidade máxima de 35 quilômetros por hora, o P1 possuía uma autonomia de 80 quilômetros, marca que superava muitos motores movidos à gasolina disponíveis na época. Entre os episódios envolvendo o carro está o fato de uma unidade ter sido capaz de vencer uma corrida de 40 quilômetros em 1899, na qual metade dos 28 participantes sequer chegaram a seu final.

Ao todo, somente quatro carros P1 foram construídos, sendo que um deles foi descoberto recentemente em um estado relativamente bem conservado em um armazém na Áustria, no qual o veículo estava desde 1902. A invenção, com todas as peças originais, deve passar a ser exibida em breve no museu oficial da Porsche em Stuttgart próximo ao 918 Spyder, o carro elétrico mais moderno já produzido pela empresa.