(Fonte da imagem: Reprodução/Engadget)

Estacionar o carro em determinados lugares pode ser uma tarefa um tanto complicada, já que alguns espaços podem ser bastante pequenos ou apertados.

Visando resolver esse e outros tipos de problemas urbanos, pesquisadores da Coreia do Sul desenvolveram um protótipo de carro para duas pessoas que é capaz de se "dobrar" para economizar espaço – pelo menos parcialmente.

O nome do veículo é Armadillo-T (alusão ao nome em inglês do mamífero tatu, capaz de se comprimir de modo semelhante), um protótipo de carro elétrico bastante leve e compacto que pode diminuir de tamanho significativamente quando estacionado – ele mede 2,8 metros em posição normal e 1,65 metro quando compactado. Para realizar o comando, basta utilizar um smartphone qualquer com o app de controle do Armadillo-T.

Projeto em andamento

Os desenvolvedores do veículo são do Instituto de Ciência Avançada e Tecnologia da Coreia do Sul (KAIST, no original) e prometem melhorias futuras ao carro elétrico. Ele é um pouco maior do que um Smart Car, porém, quando comprimido, fica visivelmente mais compacto – capaz de ocupar um terço de uma vaga normal de estacionamento.

O Armadillo-T foi projetado para circular em grandes cidades, onde os ambientes urbanos são bastante congestionados e em que qualquer espaço pode fazer a diferença. O carro não possui espelhos laterais e externos, já que dispõe de pequenas câmeras que realizam esse trabalho. Os motores estão instalados próximos das rodas frontais, de modo que não precisam mudar de lugar durante o processo de dobramento. Equipado com baterias de íon-lítio, o veículo é carregado em apenas 10 minutos.  

Uma alternativa de mobilidade

Os designers do Armadillo-T o classificam como "um ícone para o sistema de transporte do futuro com inovação tecnológica". Vale lembrar que esse não é o primeiro modelo de carro dobrável anunciado. O MIT já criou outro protótipo em 2012, batizado de Hiriko, que nós também noticiamos aqui no Tecmundo. O Armadillo-T está longe de chegar ao mercado, porém é fato que ele pode ajudar a evitar os congestionamentos dos grandes centros urbanos. O que você achou do projeto?