(Fonte da imagem: Reprodução/SlashGear)

Nos Estados Unidos, a Google e outras empresas que trabalham com o desenvolvimento de carros autônomos — ou seja, que não precisam de motoristas para se locomover — já podem testar os seus protótipos nas ruas de cidades. A novidade é que o Reino Unido também emitiu uma liberação desse gênero.

Agora, os pesquisadores da Universidade de Oxford podem fazer com que os seus veículos circulem em ruas públicas, sem limitar os testes às propriedades privadas que eram utilizadas até o momento. Além disso, a iniciativa faz parte dos planos que o governo do Reino Unido tem para reduzir o congestionamento no trânsito.

Contudo, há algumas restrições para que isso possa acontecer, como o fato de que os carros autônomos não podem circular em todas as ruas das cidades, pois a permissão abrange apenas vias rurais e suburbanas. Outra exigência do governo é que deve haver pelo menos um motorista atrás do volante para impedir prováveis acidentes por conta de defeitos.

Tecnologia um pouco distante

De acordo com informações cedidas pelo governo do Reino Unido, os projetos da Universidade de Oxford contam com um tipo de sistema que precisa de um trajeto traçado antes que o carro comece a se movimentar. Outra característica é o fato de que ele sempre mantém uma distância segura do veículo da frente e tem limitadores de velocidade — mecanismos já presentes em automóveis comercializados, como a Mercedes S-Class 2014.

Apesar de os testes estarem em uma fase de desenvolvimento relativamente avançada, vai demorar para que os veículos autônomos cheguem às lojas do mundo todo. Isso acontece pelo fato de que eles ainda precisam de intervenção humana para que acidentes não ocorram, de modo que mais estudos precisam ser realizados.