(Fonte da imagem: Reprodução/McLaren)

Houve uma época em que o senso comum dizia que um automóvel nunca poderia andar 161 quilômetros com um único galão de gasolina, medida americana que equivale a 3,8 litros. Felizmente, todos os especialistas que acreditavam nesse mito estavam errados e, graças a isso, temos assunto para este artigo.

Durante a década de 90, o cientista-chefe e criador da Rocky Mountain Institute (RMI), Amory Lovins, cunhou o termo “Hypercar” para descrever o conceito de um automóvel bastante espaçoso e, principalmente, econômico, capaz de quebrar o desafio dos 161 km descritos no parágrafo acima. Depois disso, o termo se expandiu e passou a ser sinônimo de carro de alta performance, veículos com motores extremamente eficientes e que desafiam diversos limites físicos para atingir níveis de desempenho incríveis, além de segurança e visual acima da média.

Muitas vezes, esses modelos são construídos em séries limitadas e não costumam ser vendidos no mercado convencional de veículos. E se depender da nova geração de hipercarros que começa a ser desenvolvida, não é só o custo que deixará muita gente surpresa, mas toda a preocupação com design e tecnologia empregada para que o carango possa se destacar ainda mais na estrada.

Confira, a seguir, os principais modelos dessa nova leva de hipercarros que ganharão as ruas muito em breve.

McLaren P1: tecnologia de F1 para a estrada

Mesmo depois de ser apresentado no Salão do Automóvel de Genebra, na Suíça, o McLaren P1 continua recebendo os holofotes da imprensa especializada por sua perfeição e, principalmente, pelos detalhes técnicos que integram o veículo. Entre os atrativos que tornam esse veículo especial estão os diversos avanços tecnológicos que a McLaren desenvolveu com seus carros de Fórmula 1 e que puderam ser aproveitados para o P1.

Com produção limitada de 375 unidades, cada carro custa cerca de US$ 1,15 milhão (R$ 2,3 milhões). Com motor de 903 cavalos, o McLaren P1 pode alcançar 100 km/h em apenas 3 segundos, chegando a quase 300 km/h em menos de 17 segundos. E esse não é o limite máximo, visto que esse hipercarro pode correr a 350 km/h.

Umas das tecnologias provenientes dos carros de corrida e que está presente no P1 é a possibilidade de reaproveitar energia, graças ao Instant Power Assist System (IPAS), que converte a energia cinética resultante de frenagens em energia elétrica que pode ser usada pelo veículo.

Outra funcionalidade importante para o alto desempenho do P1 é a presença de um sistema ajustável de amortecimento ativo que, aliado a uma aerodinâmica muito bem ajustada, permite ao veículo fazer curvas com uma força maior do que 2 g. Além disso, o corpo do carro é feito de uma peça única de fibra de carbono, evitando que mais peso seja adicionado por causa dos materiais usados para unir as diferentes peças.

McLaren P1, de 0 a 100 km/h em apenas 3 segundos (Fonte da imagem: Reprodução/McLaren)

Porsche 918 Spyder: motor híbrido e econômico

O Porsche 918 Spyder possui um motor híbrido plug-in, ou seja, com bateria elétrica capaz de ser carregada em uma tomada e um motor de apoio V8 à combustão. Ele é capaz de produzir até 593 kW e usar apenas três litros de gasolina para cada 100 quilômetros. A ser lançado ainda em 2013, esse carro também possui aerodinâmica muito bem ajustada e peso ideal para alcançar seus 322 km/h com facilidade.

A cadeia cinemática do Porsche 918 Spyder, com todos os elementos responsáveis pela tração do automóvel, não pesa mais do que 50 kg e é mantida sempre baixa e centralizada, com o objetivo de aumentar o centro de gravidade do carro. Outra novidade desse modelo é o fato de que o escapamento está localizado logo acima do motor híbrido, por questões mecânicas: ao ocupar uma área que já acaba sendo aquecida pelo motor, a parte de baixo continua fria o suficiente para armazenar as baterias elétricas.

Porsche 918 Spyder: apenas 918 unidades serão produzidas (Fonte da imagem: Reprodução/Wikipedia)

Como se não bastasse, um chassi em monobloco de carbono faz com que a principal parte do carro seja leve, enquanto que aberturas logo abaixo dos faróis dianteiros podem se abrir para refrigerar os componentes elétricos internos e se fechar em velocidades mais altas para diminuir a força de arrasto. Serão produzidas apenas 918 unidades desse modelo da Porsche.

Rimac Concept One: o primeiro hipercarro 100% elétrico

Este hipercarro que em breve deve ser produzido em massa possui motores elétricos que entregam cerca de 811 kW para cada roda, de maneira independente. Indo na contramão das demais fabricantes, que preferem optar por uma solução híbrida, o Rimac Concept One é o primeiro a apostar completamente na energia elétrica para a construção de um desses carros.

Graças às tecnologias utilizadas, o Rimac Concept One consegue percorrer 600 quilômetros sem emitir poluentes, entretanto, graças a toda a parte elétrica do automóvel, esse é o modelo mais pesado da nova geração de hipercarros, com 1,95 tonelada. O Concept One pode atingir o limite máximo de 304 km/h e chega em 100 km/h em apenas 2,8 segundos.

Hennessey Venom GT: pequeno notável

Com um motor Viper turbo gêmeo de 7 litros, o Venom GT entrou para o Guinness como sendo o carro que atinge mais rapidamente a velocidade de 300 km/h partindo do zero: isso acontece em menos de 14 segundos.

Venom GT pode correr a 443 km/h (Fonte da imagem: Reprodução/Hennessey)

Com altura reduzida, o Venom GT mantém um centro de gravidade mais baixo. Além disso, o design do chassi ajuda a reduzir a força de arrasto drasticamente, característica que, aliada ao baixo peso do carro (1,24 tonelada), faz com que ele possa atingir a velocidade máxima de 443 km/h sem dificuldade.

Koenigsseg Agera R

Essa reformulação do Agera não ficou apenas mais leve, como também muito mais potente, o que possibilita que o modelo chegue a 100 km/h em apenas 2,9 segundos. Além das rodas de 48,3 centímetros feitas em fibra de carbono, o Agera R também inova no funcionamento do aerofólio, peça que melhora a aderência e estabilidade do veículo.

(Fonte da imagem: Reprodução/Koenigsseg)

Enquanto a maior parte dos hipercarros usa aerofólios ativos que muda a altura de acordo com a velocidade e por meio de mecanismos hidráulicos, esse acessório varia de ângulo com a pressão exercida pelo vento ao longo da corrida. Dessa forma, o veículo pode compensar melhor a resistência que sofre de ventos. A velocidade máxima atingida pelo Agera R é de 439 km/h.

LaFerrari

Em 2003, a mais famosa fabricante italiana de automóveis lançou o seu primeiro hipercarro: o Ferrari Enzo. Agora, 10 anos depois, chegou a vez de um novo modelo, LaFerrari, mostrar que não são necessárias mudanças drásticas para uma evolução de qualidade.

LaFerrari, novo hipercarro da fabricante italiana (Fonte da imagem: Reprodução/Wikipedia)

O novo hipercarro da Ferrari é 43 milímetros mais estreito e 31 milímetros mais baixo do que a Ferrari Enzo, o que proporciona um centro de gravidade um pouco menor e uma maior distribuição de peso para a parte traseira do carro. Com isso, o veículo pode deslizar melhor pelo ar e ganha maior aderência ao chão.