(Fonte da imagem: Divulgação / Fisker Automotive)

Em uma sociedade que busca maneiras ecologicamente corretas de se locomover, carros elétricos parecem uma saída interessante, já que não emitem poluentes. Isso é digno de nota, mas recentes incidentes com veículos elétricos parecem ter colocado em cheque o seu status de “carro do futuro”.

Em Woodside, na Califórnia, um proprietário deixou o seu veículo Fisker Karma no estacionamento e foi fazer compras. Quando retornou, o carro estava em chamas. Aparentemente, o modelo entrou em combustão sem nenhuma interferência externa.

Outros veículos do mesma empresa (todos elétricos) foram recolhidos no ano passado por causa de uma falha que também poderia causar incêndios nos carros. Felizmente, não ocorreram fatalidades no último incidente, mas esse é um fato que não deixa de assustar os donos desse tipo de veículo.

A Fisker divulgou um comunicado informando que está investigando as causas do incidente, já deixando claro que o incêndio não começou na área do motor do Karma, problema que motivou o recall dos carros no ano passado.

Até carros de corrida ficaram em chamas

Engana-se quem pensa que apenas os carros normais têm esse tipo de problema. Próximo da data do acidente em Woodside, aconteceu no Colorado a famosa corrida Pikes Peak. O carro elétrico dirigido pelo piloto Nobuhiro “Monster” Tajima teve um desempenho excelente durante três dias de corrida.

(Fonte da imagem: Reprodução / APEV)

Isso até que, em um trecho do percurso, o motor do carro superaqueceu e pegou fogo. Logicamente, por ser um veículo produzido para um fim diferente dos carros que podem ser comprados normalmente, os motivos para que ele tenha se incendiado devem ser diferentes, mas a proximidade dos casos cria certa preocupação em relação à segurança dos veículos elétricos.

Fontes: Jalopnik, Engadget e Wired