(Fonte da imagem: Thinkstock)

Uma das coisas mais marcantes de quando se compra um automóvel zero quilômetro é aquele “cheirinho” de carro novo. Independente de achar esse aroma bom ou ruim, você já se perguntou de onde ele vem? O site Gizmodo conversou com Janis Ambrose Shard, gerente da seção de pintura e acabamento da Toyota, para desvendar a origem desse cheiro.

De acordo com Shard, o aroma característico de um veículo novo sai dos compostos orgânicos voláteis das partes plásticas que compõem o seu interior, como o painel e o revestimento dos bancos e portas. Segundo ela, o cheiro de carro novo é tão marcante devido a uma questão psicológica, e não fisiológica. As pessoas gostam desse aroma não porque ele agrada ao sentido olfativo, mas sim por estarem realizadas com a aquisição de um automóvel recém-saído da fábrica.

Na verdade, explica a funcionária da Toyota, os compostos orgânicos voláteis (também conhecidos como COVs) são poluentes do ar, podendo até causar doenças em casos de exposição prolongada a grandes quantidades desse tipo de material. Os COVs são mais comuns do que imaginamos, pois eles estão presentes em uma infinidade de produtos com que temos contato com frequência, como materiais de limpeza. Todavia, as baixas concentrações encontradas no ar são inofensivas.

Shard complementa a entrevista dizendo que a montadora japonesa passou a utilizar colas à base de água, em vez das fabricadas com solventes, para tentar reduzir a presença dos compostos orgânicos voláteis em seus automóveis. Outras empresas, como a Ford, estão tentando substituir os revestimentos feitos a partir do petróleo por materiais menos nocivos ao meio ambiente – como extratos removidos da soja.