(Fonte da imagem: Reprodução/Thinkstock)

Procurando reduzir o número de acidentes causados por distrações, a AT&T Labs e a Carnegie Mellon University estão desenvolvendo um volante que fornece instruções de navegação por meio de vibrações – em vez de mapas em telas ou comandos por voz, que tiram a atenção do motorista da pista.

De acordo com o site Technology Review, o volante está interligado com um dispositivo de GPS tradicional (o que ainda deve ser aprimorado) e possui 20 componentes que enviam sinais vibratórios, indicando ao condutor se ele deve virar para a esquerda ou para a direita. O mecanismo também poderá ser utilizado para informar ao motorista a existência de um veículo no ponto cego dos seus retrovisores ou se ele está muito próximo do carro à frente.

Estudos realizados com a tecnologia em simuladores mostraram que condutores mais jovens, com idade média de 25 anos, mantiveram seus olhos na estrada por um tempo 3,1% maior do que quando utilizados os equipamentos convencionais de GPS. Em contrapartida, motoristas com mais de 65 anos parecem não ter se adaptado tão bem ao volante vibratório. Nessa faixa etária, os comandos por voz foram mais eficientes, reduzindo em 4% a distração dos condutores.