Quando há uma conversa sobre carros e o assunto vira o design dos veículos, todo mundo se lembra daquela Ferrari estilosa, de um Porsche invocado ou então de um Lamborghini capaz de arrancar suspiros até mesmo dos menos apaixonados por automóveis.

Entretanto, existe também o outro lado da moeda. Estamos falando dos carros feios! Ao longo dos anos, as montadoras já conseguiram criar conceitos que não caíram no gosto de ninguém. E o pior: muitos deles chegaram a ser fabricados e comercializados. Confira agora alguns dos veículos mais feios da história dos automóveis.

Peel P50


Peel 50 (Fonte da imagem: Ultimate Car Page)

O Peel P50 não era um carro, mas sim um microcarro. O veiculo, produzido na década de 60, é considerado o menor já construído e tinha aproximadamente 130 centímetros de comprimento. Sua capacidade era de “um adulto e mais uma sacola de compras”.

Marcos Mantis M70

Marcos Mantis M70 (Fonte da imagem: AutomotiveImage.org)

O Marcos Mantis M70 foi mais um grande insucesso de uma empresa que nunca conseguiu chegar ao destaque no que diz respeito à criação de carros esportivos. Com um design que pretendia ser agressivo e ao mesmo tempo moderno, o carro fracassou, vendendo pouco mais de 30 unidades em dois anos de produção.

Aston Martin Bulldog

Bulldog (Fonte da imagem: Autodrame-Cannes)

Falando em esportivos, as companhias mais famosas também conseguiram pisar feio na bola. O Aston Martin Bulldog só teve uma unidade produzida e contava com linhas agressivas e muito poligonais, como se tivesse saído de um antigo game de corrida.

Tyrrell P34

Tyrrell de seis rodas (Fonte da imagem: Wikimedia Commons)

Não só os carros de rua sofreram com o mau gosto de seus desenvolvedores. A Tyrrell, antiga equipe participante do Campeonato Mundial de Formula 1, conseguiu chamar a atenção do público nas temporadas de 1976 e 1977.

O problema é que não foi pela conquista de vitórias ou grandes apresentações, mas sim pelo estranho design do seu bólido. O  trazia nada menos do que duas rodas a mais do que os seus adversários, se tornando assim o único carro do campeonato com seis rodas: duas na parte traseira e quatro na dianteira. Além disso, o bico do carro também não era nada bonito.

Ford Edsel

Ford Edsel (Fonte da imagem: Autopistas)

Prometendo ser mais do que “somente mais um carro da Ford”, o Ford Edsel realmente conseguiu impressionar o público quando foi lançado. Se antigamente os carros grandes e espaçosos eram muito apreciados, até mesmo naquela época essa traseira foi considerada um grande exagero.

Fiat Multipla

Fiat Multipla (Fonte da imagem: Auto Car World)

O Fiat Multipla foi inexplicavelmente produzido na Europa por mais de uma década. O carro contava com várias particularidades estranhas, a começar pelas janelas desproporcionalmente grandes.

Além disso, o veículo trazia também um par de faróis extras logo abaixo do para-brisa, e espelhos retrovisores que pareciam mais duas orelhas nas laterais do automóvel.

Egochine B

Egochine B - Carro ou barbeador? (Fonte da imagem: Jalopnik)

Quando se fala em carros de gosto duvidoso, os conceitos sempre aparecem. E o Egochine B consegue chamar a atenção, mesmo se tratando somente de uma ideia.

O veículo, baseado em algo chamado de “retrofuturismo”, traz uma modelagem em “T” com lugar para somente um passageiro, além de uma carroceria supercomprida. O problema é que os desavisados podem acabar confundindo o conceito com um barbeador elétrico.

Gurgel G15

Gurgel, o carro quadrado (Fonte da imagem: 4Carros)

O Brasil e os carros genuinamente nacionais não poderiam ficar de fora. Os veículos da Gurgel sempre foram marcados pela simplicidade absurda em suas linhas, trazendo um design extremamente quadrado.

E entre os lançamentos da empresa, o Gurgel G15 com certeza é o que mais simboliza esses traços poligonais. A caminhonete parecia mais um brinquedo LEGO montado por alguém com certo entendimento de engenharia mecânica do que, de fato, um veículo utilitário de verdade.

Aston Martin Lagonda Wagon

Aston Martin Lagonda Wagon (Fonte da imagem: Rpmgo)

A Aston Martin produziu o Lagonda Wagon inspirando-se na antiga Langonda, empresa que a companhia havia adquirido anos atrás. O problema é que o carro parece ter sido muito mais influenciado pela Família Adams, uma vez que o veículo se assemelha a um verdadeiro carro funerário.

Sebring Vanguard Citicar

Sebring Vanguard Citicar (Fonte da imagem: Popular Restorations)

Considerado como o primeiro carro elétrico a ser comercializado, o Sebring Vanguard Citicar atingia até 55 km/h e chegou a competir com o Fusca nos Estados Unidos.

O problema é que o veículo, além de muito estranho, não trazia nenhuma segurança para quem andava com ele. Os donos eram instruídos, inclusive, a não sair com o carro na chuva.

.....

É possível perceber que as montadoras são capazes de criar verdadeiras obras-primas, mas, quando eles erram, também conseguem colocar verdadeiros desastres nas ruas. E aí, você compraria algum desses carros?