Quando se fala em conectividade, você geralmente pensa em WiFi ou Bluetooth, certo? Talvez até mesmo infravermelho, em tempos longínquos – mas, se depender da Jaguar Land Rover e a startup Lisnr, a conectividade entre veículos e dispositivos eletrônicos vai acontecer através do som.

Os chamados “Smart Tones” são sons que ficam fora das frequências audíveis pelos seres humanos, mas que, em teoria, podem carregar informações e servir para transmissão de dados com diversos outros dispositivos equipados com a mesma tecnologia, bastando um aplicativo para que isso aconteça.

Esses dados podem fazer com que, por exemplo, o veículo consiga identificar em quais assentos as pessoas estão sentadas e até mesmo personalizar alguns ajustes do carro de acordo com as preferências pessoais dos ocupantes. Um exemplo é de que, com essa tecnologia, o veículo, ao identificar que é você que está sentado no banco do motorista, pode colocar o som na sua rádio favorita, ajustar os bancos e a climatização de forma personalizada – mesmo que você não tenha sido o último ocupante.

Range Rover Velar: último modelo da marca britânica Land Rover ainda não vem equipada com os Smart Tones, mas não está muito longe

De qualquer forma, o uso dos Smart Tones não para por aí: eles podem ser utilizados também como as próprias chaves do veículo ou até mesmo com dispositivos fora do automóvel, por exemplo, no drive-through de um restaurante, para mostrar o menu no sistema de infoentretenimento e ser capaz de comunicar de volta com os pedidos dos ocupantes do carro.

“Estamos buscando e investindo em tecnologias que melhoram a conectividade dentro do veículo e fazer com que carros, dispositivos e usuários se aproximem cada vez mais”, explicou Danielle Alexander, responsável pela incubadora de tecnologia da Jaguar Land Rover. “Lisnr é uma das tecnologias que já vimos nesse segmento e acreditamos que trabalhar com eles nos levará mais próximos do nosso objetivo de completar a conectividade entre carro e dispositivo”.

Caso você esteja se perguntando a respeito dos cães, a promessa da Lisnr é que até mesmo eles não conseguirão captar a frequência emitida pela tecnologia – do contrário, carregar seu peludo dentro do carro poderia se tornar um verdadeiro inferno.