Um dos pontos que ainda precisam evoluir nos carros elétricos, sem dúvida alguma, é a autonomia desses veículos. Você pode fazer isso de duas formas: colocando mais baterias, o que pode deixar o carro mais pesado, ou encontrando uma forma de carregar as que já estão lá.

Algumas montadoras escolhem a segunda opção e recorrem a sistemas de recuperação de energia através da frenagem e da inércia do sistema motriz ou até mesmo a motores à combustão que estão lá exclusivamente para fornecer energia para o conjunto. Outras, como a chinesa Techrules e seu supercarro elétrico Ren, preferem turbinas.

É isso mesmo: turbinas alimentadas com diesel, que fazem parte do sistema chamado de TREV, e são dedicadas exclusivamente para dar mais fôlego para o conjunto de bateriais e quatro motores motores elétricos – um para cada roda do veículo.

A escolha não foi um acaso, já que o veículo tem nada menos que 1300 cv de potência e é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 2,5 segundos, com uma velocidade máxima estimada em 350 km/h. Se não bastasse toda essa potência, o torque do Ren também beira o obsceno: são nada menos que 238 kgfm de força.

Isso acontece também graças ao peso relativamente baixo para um carro do tipo: são 1.700 kg, atingidos graças à estrutura do carro ser feita em fibra de carbono. Esse aspecto também ajuda com que esse monstro faça uma média relativamente alta: são 15 km/L de diesel – e vale lembrar aqui que o objetivo do Ren não é andar longas distâncias, mas sim andar rápido.

Ainda assim, as baterias podem carregar até 80% em 15 minutos com um carregador rápido e a Techrules diz que a vida útil das baterias é de 100 mil ciclos de recarga.

No interior, o que se tem é algo que remete muito à saudosa McLaren F1, com o banco do motorista centralizado e outros dois assentos localizados um pouco mais atrás. O curioso é que os bancos são feitos com uma combinação de couro e jeans – um jeans italiano caríssimo, claro.

O design externo é assinado pelo lendário Giorgetto Giugiaro, que, junto de seu filho Fabrizio, se inspirou em desenhos aeronáuticos para desenvolver o Ren, que conta com spoiler traseiros que são acionados de acordo com a velocidade, para aumentar a estabilidade.

Em vez de portas, toda a parte superior do veículo se abre, como um cockpit de avião. Apesar de parecer um ponto meramente estético, os idealizadores do veículo explicam que isso, na realidade, ajuda na rigidez estrutural do carro. Para fechar o design futurista, nada de retrovisores: câmeras fazem o trabalho de enviar as imagens para dentro do veículo.

A Techrules afirma que o Ren deve vir recheado de amenidades tecnológicas, mas não especificou quais. De qualquer forma, o volante conta com uma tela que se nivela automaticamente com a ajuda de um giroscópio.

Não há qualquer confirmação de que o Techrules Ren sequer chegue a ver a luz do dia, mas, pelo menos, não dá pra dizer que o projeto não parece promissor.