Henrik Fisker foi um cara a frente do seu tempo: em 2011, criou um supercarro híbrido-elétrico quando Elon Musk ainda elaborava seu plano de dominação mundial. Uma pena que o Fisker Karma não deu tão certo assim – era um carro bonito, claro, mas não deu certo e a Fisker enquanto fabricante de carros deixou de existir (ou quase isso).

Pois bem, o fornecedor chinês de peças automotivas Wanxiang resolveu que era uma boa ideia ressuscitar o Karma sob o nome de... Karma. Mas esse não é o nome do modelo, no caso, é o nome da marca, porque o Karma na verdade passou a se chamar Revero. Isso ficou confuso, certo? Então, pra facilitar: este é o Karma Revero:

O carro continua com um motor 2.0 de quatro cilindros fornecido pela General Motors, que produz 235 cavalos e serve exclusivamente para carregar o conjunto de baterias de íon-lítio da A123 Systems, também de propriedade da Wanxiang.

Com capacidade de 21,4 kWh, são elas que alimentam os dois motores elétricos que fornecem cerca de 400 cavalos de potência para as rodas traseiras do Revero, o suficiente para leva-lo de 0 a 100 km/h em apenas 5,4 segundos no modo Sport.

Para dar mais uma força na parte de eficiência energética, o teto do carro é composto de painéis solares que ajudam a aumentar a autonomia do carro ainda mais – o Karma antigo (da Fisker) também contava com a função, mas apenas para alimentar os acessórios do veículo.

O Karma Revero tem algumas melhorias em relação ao Fisker Karma, principalmente na parte elétrica – e esse foi um dos maiores desafios para a “nova” versão do carro, já que toda a fiação teve que ser repensada. Com isso, o novo Revero consegue atingir 80% de bateria em apenas 24 minutos.

Outra parte do interior que passou por uma recauchutada foi o sistema de infoentretenimento, que agora conta com compatibilidade com o Apple CarPlay e também um painel de instrumentos digital que usa o mesmo software que vem nos sistemas da Audi.

Como uma fênix, o Karma Revero deve chegar em 2017 nos Estados Unidos e em 2018 na Europa pelo preço estimado de US$ 130 mil, ou R$ 425 mil. O valor é 30% mais caro do que o Fisker Karma, e praticamente o mesmo valor de um Tesla Model S.