Entre os entusiastas de carros existe uma frase muito comum, usada para explicar a paixão pelos automóveis, que diz algo como "a diferença entre adultos e crianças é o tamanho dos seus brinquedos". Isso se torna particularmente verdade quando você toma conhecimento da existência de veículos como o Ultima Evolution.

Ele faz parte de um nicho de mercado particularmente popular na Inglaterra, dos chamados "Kit Cars", que basicamente são carros que você consegue montar na garagem de casa se tiver as ferramentas certas e seguir as instruções com atenção. É claro que, caso você não manje muito ou simplesmente não queira montar, é possível comprá-los já montados.

É tipo LEGO, só que maior. E mais rápido. E mais divertido. Bem mais divertido, na verdade

É como naqueles kits de plastimodelismo ou até mesmo de LEGO, com a diferença de que, se antes você montava um carrinho ou uma nave, você tem a oportunidade de montar na garagem da sua casa um carro que é quase tão rápido quanto um Bugatti Veyron – só que pagando um valor muito menor.

Marcas como Caterham, Ariel e várias outras são particularmente conhecidas nessa área de kits cars, seja vendendo carros próprios ou réplicas de modelos bem conhecidos. A Ultima faz parte do primeiro grupo, mas ela acabou levando o conceito de carros montáveis para um nível completamente novo.

Velozes e Feiosos

A maior parte dos kit cars segue uma receita muito simples: as peças são todas fabricadas em fibra, seja de vidro (leve e barata) ou de carbono (resistente e muito cara) e montadas sobre um chassi tubular. Essas partes são construídas de modo modular para que a montagem seja feita da forma mais simples possível – e a Ultima faz questão de reforçar que o carro é perfeitamente legal para andar nas ruas.

A parte estética pode deixar a desejar em um kit car e a confiabilidade em relação à segurança vai ser, na melhor das hipóteses, questionável

É claro que isso significa que a parte estética pode deixar a desejar – é muito difícil encontrar um kit car realmente bonito –, o acabamento não vai ser dos melhores e a confiabilidade em relação à segurança vai ser, na melhor das hipóteses, questionável. O motivo disso é que o foco das empresas que desenvolvem esse tipo de carro é, na maioria das vezes, caprichar na parte mecânica.

O Ultima Evolution é muitíssimo parecido com o modelo anterior, o GTR720, e isso significa uma coisa: ele continua "esteticamente peculiar". Ele ganhou novos componentes internos do farol, rodas de alumínio forjado, assentos em fibra de carbono, botões wireless e um chassi melhorado. Ao contrário de outros veículos do tipo, que geralmente são conhecidos por serem bem espartanos, ele ainda conta com GPS, câmera traseira, sensores de estacionamento e até sistema de som.

O Evolution pesa cerca de 950 kg e faz de 0 a 100 km/h em absurdos 2,3 segundos

A melhor parte, no entanto, é que o patinho feio do mundo automotivo de alta performance vem com um motor V8 da família LS da Chevrolet, capaz de produzir até 1.020 cv de potência na versão supercharger – a Ultima oferece 15 opções no total, começando em 350 cavalos na versão básica.

O chassi é tubular, a carroceria é em fibra de vidro e o coração é fornecido pela Chevrolet: um V8 Supercharger capaz de gerar até 1.020 cavalos de potência (o que é mais que um Bugatti Veyron)

Toda essa cavalaria é capaz de deslocar o levíssimo conjunto – o Evolution pesa cerca de 950 kg – de 0 a 100 km/h em absurdos 2,3 segundos! A velocidade máxima é estimada em aproximadamente 390 km/h – e isso é "apenas" 25 km/h mais lento que o atual recordista oficial, o Bugatti Veyron Super Sport, que registrou 415 km/h e custa mais de R$ 10 milhões, contra os aproximados R$ 500 mil do Evolution. Nada mal quando se fala em custo x benefício x insanidade.

É claro que o kit car britânico é mais simples em diversos aspectos: o interior só conta com o essencial, o câmbio é manual de seis marchas não sequencial, a tração é somente traseira e não existem as inúmeras assistências eletrônicas dos hiperesportivos por aí que apresentam estatísticas parecidas – o que pode ser considerado um pouco arriscado para um carro de mais de 1.000 cv.

Para finalizar, uma curiosidade: no Brasil, um Ultima GTR720 (o único de que se tem conhecimento em terras tupiniquins) não teve uma recepção muito calorosa:

E aí, você acha que o Ultima Evolution consegue fazer frente aos modelos bem mais conhecidos por aí? Você teria coragem de acelerar forte em um carro montado em casa? Deixe seu comentário aí embaixo!