Durante o evento TechCrunch Disrupt, realizado recentemente em Nova York, a Nikola Labs subiu ao palco para anunciar aquilo que pode muito bem ser um passo na direção das baterias do futuro para smartphones. Usando o novo case da empresa, os usuários do iPhone 6 poderão extrair energia para abastecer seus celulares a partir das frequências externas de rádio que circulam por todo o lado.

Segundo Rob Lee, cofundador da Nikola Labs, quase 97% da energia que os smartphones usam para manter conexões de voz e dados acaba sendo desperdiçada enquanto os sinais eletromagnéticos se deslocam a dissipam pelo ar. A capinha especial da empresa, no entanto, consegue capturar parte dessa energia e utilizá-la para recarregar o aparelho, supostamente conseguindo ampliar em 30% a vida da bateria do iPhone 6.

O case usa duas tecnologias desenvolvidas e patenteadas pela Universidade do Estado de Ohio, nos EUA: uma antena feita para coletar a energia dessas ondas de rádio e um conversor RF-DC, que transforma a força capturada em um tipo de corrente que o smartphone consegue utilizar para funcionar.

De acordo com a Nikola Labs, a novidade consegue extrair energia de frequências de WiFi, Bluetooth e LTE e a força obtida não fica armazenada na capa, mas sim é transmitida continua e passivamente para o celular. Dessa forma, o smartphone fica constantemente recebendo um pouco de força, fazendo sua bateria durar mais do que o normal.

Muita calma nessa hora

A Nikola Labs tem planos de transformar a tecnologia do case em um produto real após o lançamento de uma campanha de financiamento coletivo no Kickstarter, que deve ser iniciada ao longo do próximo mês. O acessório deve custar US$ 99 (equivalente a cerca de R$ 303) e a entrega das primeiras unidades é esperada para o final de setembro.

Como é comum com qualquer tecnologia nova, a porção mais cética do público já começou a demonstrar suas suspeitas com relação ao que é prometido pelo case da Nikola Labs. Em uma postagem do Reddit, por exemplo, vários usuários forneceram seus motivos porque acham que tudo não passa de enganação, indo desde argumentos como “eles não falaram exatamente quanta energia conseguem capturar” até explicações científicas detalhadas.

Por enquanto, tudo o que podemos fazer é esperar pelo início da campanha e por mais pronunciamentos por parte da Nikola Labs. E você, acha que a novidade realmente pode revolucionar as baterias de smartphones? Acredita que tudo não passa de um golpe para arrancar dinheiro de quem não entende muito de eletrodinâmica? Deixe sua opinião nos comentários.

Cupons de desconto TecMundo: