Serviço permite que utilizadores aprendam inglês brincando (Fonte da imagem: GoalEurope)

Se você já tentou aprender qualquer idioma estrangeiro, certamente sabe que a maior dificuldade no decorrer de todo o processo de estudo é a falta de motivação. Se você não está motivado, você aprende menos, não se interessa pelo conteúdo ou até mesmo abandona o curso na metade: é o normal.

Foi pensando nesses problemas que o LinguaLeo, serviço online que acaba de aterrissar no Brasil, foi criado. Através dele, qualquer pessoa com acesso a internet pode aprender inglês gratuitamente e de uma forma, digamos, "mais divertida" do que as metodologias convencionais. O sistema é bastante parecido com o de um jogo de RPG: você cria a sua conta, interage com os materiais de estudo e passa e enfrentar diversos exercícios interativos. De acordo com seus progressos, seu personagem vai subindo de nível, ganhando experiências e alimentando o pequeno mascote leonino do site, o simpático Leo.

Serviço atende usuários iniciantes, intermediários e até mesmo os avançados (Fonte da imagem: Reprodução/LinguaLeo)

Aprenda do jeito que preferir

O diferencial do LinguaLeo é a possibilidade dos próprios utilizadores "moldarem" suas aulas de acordo com suas preferências. Os materiais de estudo que o sistema oferece são bastante diversificados: letras de músicas, contos, livros, artigos científicos, poesias, filmes e qualquer outro conteúdo em inglês que você eventualmente possa se interessar.

É possível conferir a tradução das palavras que você desconhece, adicioná-las ao seu vocabulário e treiná-las com exercícios personalizados. E caso você não encontre aquilo que goste, sinta-se à vontade para adicionar seus próprios conteúdos didáticos.

O LinguaLeo ainda conta com a "Savana", um espaço no qual você pode interagir com outros usuários e segui-los para ficar a par de tudo o que eles fazem.

É possível interagir com outros utilizadores (Fonte da imagem: Reprodução/LinguaLeo)

Conheça os responsáveis pelo projeto

O Tecmundo teve a oportunidade de conversar com Aynur Abdulnasyrov (CEO e fundador do LinguaLeo), Jamerson Alves (country manager) e João Gabriel (gerente de projetos) durante a Campus Party 2013. Confira a seguir o que os executivos nos contaram sobre o serviço e os planos de expansão para o território brasileiro.

Tecmundo: Onde, quando e como foi fundado o LinguaLeo?

Aynur: "A ideia surgiu há mais ou menos três anos atrás. Eu possuía uma escola física de idiomas, e em certo momento, decidi levar este ensino também para o mundo virtual. Foi quando comecei a pensar em métodos alternativos de ensino que impedissem que o estudante perdesse a motivação durante o aprendizado. Então eu vendi a minha escola física e me dediquei totalmente ao LinguaLeo. Me juntei com três desenvolvedores, e passamos seis meses juntos na Tailândia desenvolvendo a versão Beta. Em duas semanas, já tínhamos milhares de usuários."

Jamerson: "O conceito da `selva` e da `savana` é uma analogia ao que você sente quando está começando a aprender algo novo: é um mundo desconhecido, fechado, que você muitas vezes até tem medo. Mas é caminhando de pouco a pouco que você vai ganhando mais território e ficando mais confiante."

Tecmundo: De onde surgiu a ideia da "gamificação" do processo educacional?

Aynur: "Bom, todo mundo ama jogos! Acredito que as pessoas só aprendem algo quando elas realmente gostam de fazer aquilo, gostam de reservar um tempo para aquilo. E com a `gamificação` nós criamos um modo do estudante não se chatear com aquela coisa tradicional de livros e mais livros. Você também não tem horários ou lições de casa para cumprir, não precisa ter dores de cabeça com deslocamento ou coisa parecida. Você pode aprender no horário que achar melhor: de manhã, de tarde, na pausa do trabalho, antes de ir dormir. O aluno se sente sempre motivado, pois ele está aprendendo através de joguinhos divertidos e está sendo recompensado por isto".

Serviço recebeu investimento pesado para ser adaptado para o público brasileiro (Fonte da imagem: Reprodução/Aquele Site)

Tecmundo: E quais foram as motivações para a vinda ao Brasil?

Aynur: "O LinguoLeo já é o maior sistema online de aprendizado de inglês na União Soviética, e decidimos rumar ao Brasil em primeiro lugar por ter um público parecido com o nosso primeiro. A parcela de brasileiros que são fluentes na língua inglesa é muito pequena – cerca de 5%, enquanto a demanda do mercado por profissionais que tenham esta característica não para de crescer. Teremos, por exemplo, a Copa do Mundo de 2014. Vimos um grande potencial no território brasileiro."

Tecmundo: Quando a plataforma LinguaLeo foi lançada oficialmente no Brasil?

Jamerson: "Começamos o processo de adaptação em agosto de 2012, e em novembro desse mesmo ano o LinguaLeo já estava em fase Beta aqui. Mas somente em dezembro ele foi lançado oficialmente e começamos com as ações de marketing, tudo criado especialmente para o Brasil. Embora tenhamos nos mudado recentemente, já temos mais de 70 mil usuários registrados na plataforma brasileira. Agora, estamos contratando mais pessoas para atuar no país."

Tecmundo: E os aplicativos para dispositivos móveis? Quando ficarão prontos?

João Gabriel: "Temos planos para que estejam disponíveis para daqui a dois meses. Os aplicativos para smartphones e tablets também são novidade na Rússia, mas estamos fazendo o possível para lançá-lo logo no mercado brasileiro e permitir que todos estudem onde quer que estejam. Eles estarão disponíveis para iOS, Android e Windows Phone. Também existem os complementos para navegadores, que já estão funcionando na língua portuguesa."

Extensões permitem que você utilize qualquer página da web como material de estudo (Fonte da imagem: Reprodução/LinguaLeo)

Tecmundo: Geralmente, sistemas que possuem estruturas baseadas em jogos são vistos como sendo voltados para um público mais jovem; contudo, o LinguaLeo tem a missão de ser para "todas as idades". Como vocês encaram isto e que estratégias vocês usam para conquistar pessoas mais velhas?

Aynur: "Hoje a nossa base de usuários fica na faixa dos 17 e 27 anos. Podemos até ter um público ainda mais jovem, mas é uma parcela muito pequena. A grande maioria têm por volta dos 24 anos. Essa imagem popular de que sistemas semelhante à jogos são voltados para crianças é um pouco errada; o LinguaLeo foca bastante em estudantes de ensino médio, universitários e profissionais que desejam maior capacitação".

Jamerson: "Todas as pessoas gostam de se divertir, e se encantam com a possibilidade de aprender enquanto joga. Além disso, mesmo que a interface e todo o sistema do LinguaLeo chame mais a atenção de adolescentes e crianças, nossa comunicação interna com os usuários e a possibilidade de cada pessoa moldar seu aprendizado de acordo com seus gostos pessoais faz com que o LinguaLeo seja universal."

Tecmundo: Quanto está sendo investido para a vinda do LinguaLeo para o Brasil?

Aynur: "O investimento inicial foi de 3 milhões. Temos a expectativa de faturar ao menos 2 milhões em nosso primeiro ano, além da meta de atingir 1 milhão de usuários brasileiros até o final de 2013."

Tecmundo: E quais são os planos da empresa para o futuro?

Aynur: "Além de expandir o LinguaLeo para outros países – inicialmente com foco nos europeus –, queremos adicionar mais linguagens no serviço além do inglês. Logo poderemos ter uma verdadeira central de aprendizado de idiomas, onde será possível aprender português, chinês, espanhol, russo, tailandês e o que mais o usuário desejar."

Cupons de desconto TecMundo: