A Canon, conhecida por sua tecnologia em câmeras digitais, anunciou a criação do maior dispositivo CMOS do mundo. Medindo 202 x 205 milímetros, o chip é 40 vezes maior do que os encontrados nas máquinas fotográficas comercializadas pela empresa.

O objetivo da empresa japonesa com o desenvolvimento de uma peça desse tamanho é permitir a captura de imagens em situações de pouquíssima luz, quase em escuridão total. Em câmeras digitais, o CMOS (sigla em inglês para “semicondutor de óxido metálico complementar”) é utilizado para registrar as imagens, funcionando como uma espécie de filme fotográfico.

Segundo a Canon, um aparelho que utilize o semicondutor apresentado é capaz de captar qualquer situação com uma luminosidade cem vezes menor do que a exigida por máquinas com lente 35 mm que utilizem o chip padrão.

Comparação entre o novo CMOS e o padrão

Divulgação/Canon

Para exemplificar a utilidade de sua nova criação, a companhia afirmou que com o novo CMOS é possível fazer vídeos da Lua a uma taxa de 60 frames por segundo, além de também viabilizar o registro em alta qualidade de estrelas e de animais noturnos.

Outro ponto destacado pela Canon é em relação ao desempenho do chip por conta de seu tamanho. De maneira genérica, o desenvolvimento de um grande sensor com alta capacidade de absorção de luz faria com que a velocidade de processamento na troca de informações fosse prejudicada. Entretanto, a empresa japonesa afirma que isso não acontece com o dispositivo recém-criado. Além disso, o semicondutor também minimiza imperfeições na imagem.

Apesar do anúncio e das novidades apresentadas, ainda não há qualquer tipo de previsão sobre o lançamento do CMOS, assim como também não existe nenhuma confirmação de que a tecnologia será disponibilizada ao usuário comum.

Cupons de desconto TecMundo: