(Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo)

Seja qual for o tipo de sensor utilizado atualmente em sua câmera digital, o conceito por trás do mecanismo é o mesmo: sensores capturam a imagem através de uma série de fotodiodos, gerando uma foto.

Isso, porém, tem grandes chances de mudar, no futuro, graças a uma tecnologia desenvolvida em conjunto pela Fujifilm e pela Panasonic. De acordo com o anúncio de imprensa, o sensor largaria por completo o silicone, utilizando, no lugar disso, uma camada de um conversor fotoelétrico orgânico.

Está bem, mas no que isso ajudaria? Simples: com o material orgânico, os sensores conseguem ter uma área maior de captação de luz – e, por sua vez, uma melhor qualidade de imagem – em um espaço consideravelmente menor. Basta ver a imagem abaixo para entender o funcionamento da nova tecnologia.

(Fonte da imagem: Reprodução/Fujifilm)

Qualidade superior

Se na teoria o sistema já parecia bom, na prática ele é ainda melhor. Para provar o funcionamento da tecnologia, a Fujifilm e a Panasonic revelaram uma imagem que compara um sensor CMOS com um conversor fotoelétrico orgânico e um sensor comum.

Não é preciso muito para perceber a diferença entre ambas. Na imagem da direita (a com sensor comum), temos uma foto com qualidade muito inferior, devido à iluminação. Já na da esquerda (com o sensor orgânico), todos os objetos na cena estão claramente visíveis.

(Fonte da imagem: Reprodução/Fujifilm)

Inviável, por enquanto

Ficou impressionado com a novidade? Então sinto acabar com sua felicidade, mas essa tecnologia provavelmente vai levar um bom tempo para chegar às lojas. O fato é que a produção de sensores orgânicos como esse em escala comercial ainda é considerada inviável. Resta a nós esperar e torcer para que as empresas do ramo encontrem uma solução para isso.

Cupons de desconto TecMundo: