Câmeras mirrorless são máquinas digitais que misturam o melhor de dois mundos: a qualidade das dSLR e a praticidade das compactas. A NX1000 é um modelo da Samsung que tem a pretensão de entrar nesta competição com tudo; ela possui lentes intercambiáveis, 20 megapixels em um sensor CMOS, conectividade WiFi e um corpo pequeno e leve.

A Samsung está apostando forte neste mercado de câmeras mirrorless de entrada (isto é, uma máquina para profissionais iniciantes) e trouxe recursos valiosos para a sua linha NX. Confira nesta análise alguns pontos que mais agradaram na NX1000, o que poderia ser melhor e decida se esta máquina possui o que você precisa para o seu próximo equipamento.

Aprovado

Corpo leve e pequeno

O peso e o tamanho são duas diferenças importantes entre a NX1000 e câmeras dSLR. (Fonte da imagem: Reprodução/Samsung)

Câmeras mirrorless possuem uma vantagem enorme sobre as dSLR: elas são menores. Isto é, carregar um equipamento desses é um trabalho muito menor do que levar na bolsa uma máquina grande e pesada. Sem a lente, o seu corpo é do tamanho médio de uma boa compacta (como a WB850F) e mais leve do que muitos modelos inferiores.

A construção do corpo da NX1000 é bastante confortável para segurar — apesar de não ser o indicado, se você precisar é possível até fazer os ajustes manuais usando apenas uma mão. Ela possui vários acessórios e complementos, porém se você for levar apenas uma lente e a câmera, o peso na sua bolsa não será um problema.

Foco manual

Uma câmera com lentes intercambiáveis ter foco manual não é nenhuma surpresa, afinal é este o padrão. Porém, o que realmente chama a atenção é o modo como isso é feito: quando o anel de foco é girado, a câmera dá um zoom de 5 ou 8x na cena e você pode focar o objeto principal com mais clareza.

Essa funcionalidade é uma garantia extra de que você vai conseguir uma fotografia bem focada mesmo utilizando o modo manual, um ponto importante para fotógrafos iniciantes. É possível configurar no menu principal da máquina se você deseja uma aproximação de 5x, de 8x ou um assistente visual que indica o maior ponto de foco da cena.

Ajustes manuais

Novamente, esta também não é uma novidade nas câmeras mirrorless por si só;a maior parte dos modelos possuem ajustes manuais de foco, exposição, abertura etc. Porém, a NX1000 vem com uma lente interessante para quem gosta de praticidade: você aperta um botão, localizado na lateral da lente, e pode realizar os ajustes de tempo de exposição e abertura do diafragma usando o anel de foco.

Ajustes manuais direto na lente (Fonte da imagem: Divulgação/Samsung)

Isso faz com que seja ainda mais confortável segurar a câmera pronta para o disparo e fazer os ajustes ao mesmo tempo. Para criar fotografias HDR, este modo é ótimo, já que você mexe o menos possível na câmera, criando um melhor conjunto de imagens.

Conectividade WiFi

Apesar de não ser exatamente uma câmera compacta para uso doméstico, nada impede que você utilize a NX1000 no dia a dia e, para esse propósito, uma grande vantagem é poder compartilhar as suas imagens sem precisar passá-las para um computador: basta ter um hotspot WiFi para se conectar e ela é capaz de enviar fotografias e vídeos para o Picasa, Facebook, Photobucket, YouTube, SkyDrive ou para o seu email.

Envie as suas fotos diretamente para o Facebook e outras redes sociais. (Fonte da imagem: Reprodução/Tecmundo)

Ainda é possível conectar sem fios a sua câmera com uma televisão, celular ou computador que tenha acesso à mesma rede WiFi ou utilize um aparelho móvel para criar um link de acesso que permite controlar os ajustes da câmera e o momento de disparo mesmo estando longe, como um controle remoto.

Para fazer isso, é preciso instalar um aplicativo chamado Remote Viewfinder no seu celular e conectá-lo na mesma rede que a câmera. Para transferência de fotografias entre os aparelhos, use o aplicativo MobileLink.

Efeitos e cenas

Alguns dos vários efeitos, cenas e molduras disponíveis na NX1000 (Fonte da imagem: Reprodução/Tecmundo)

Câmeras com uma pegada mais profissional, como as mirrorless, costumam ter menos funções para usuários iniciantes, como efeitos e escolha do tipo de cena que você quer fotografar. Isso, no entanto, não é realidade na NX1000: ela traz uma série de filtros disponíveis para que você aplique antes ou após o disparo e vários presets para tipos de cenas.

Essa é uma grande vantagem para quem gosta de ter um auxílio para deixar a imagem ainda melhor antes de compartilhar com os amigos. Os filtros são divididos em duas categorias: as molduras “mágicas”, que são montagens da sua foto dentro de outra imagem e os efeitos de cor e textura. Já as cenas potencializam o melhor de cada tipo de paisagem.

Qualidade das imagens

Detalhes e cores nítidas em cenas pouco iluminadas são alguns detalhes que indicam a qualidade de uma câmera. (Fonte da imagem: Reprodução/Tecmundo)

Quando o assunto é uma câmera como a NX1000, é possível ser mais exigente quando o assunto é qualidade, já que não estamos falando de uma compacta para o dia a dia e sim de uma semiprofissional. As imagens desta máquina não decepcionam, podendo competir diretamente com dSLRs de entrada.

O seu sensor CMOS, inclusive, é do mesmo tamanho do sensor de uma dSLR da Samsung, que está apostando alto na linha NX para uso profissional. A imagem abaixo mostra uma comparação entre o tamanho do sensor de uma compacta (esquerda) e o da NX1000 (direita), indicando que a área de captura (consequentemente a qualidade) é muito maior no segundo caso.

Diferença entre sensores de câmeras compactas e as NX e dSLRs da Samsung. (Fonte da imagem: Reprodução/Samsung)

O que é interessante notar é que, apesar dessa câmera fotografar com uma qualidade dezenas de vezes maior do que a de uma compacta da marca, a NX1000 possui um processador capaz de gerar a imagem praticamente no mesmo instante em que ela é batida, podendo demorar um pouco mais se você estiver no modo de disparo múltiplo.

Os controles manuais tornam mais fácil a captura de imagens nítidas e prontas para compartilhamento. (Fonte da imagem: Reprodução/Tecmundo)

Reprovado

Botões e anel de configurações

Algumas câmeras da Samsung possuem um pequeno problema em relação a alguns botões: eles são bastante desconfortáveis. Isso acontece na NX1000 e, apesar de não ser um ponto que vá fazer com que não valha a pena comprar a câmera, é um detalhe que deveria ser melhor.

O anel de configurações na parte de cima e o anel de seleção na parte traseira da máquina são os maiores problemas. O primeiro é firme demais e chega a ser difícil girá-lo com precisão usando apenas o dedão (o gesto padrão para esse tipo de botão); já o segundo é bastante leve, porém a sua construção física não é confortável para apertar, podendo machucar o dedo com o uso prolongado.

Flash separado

Essa é uma novidade que pode ser boa e ruim, dependendo do ponto de vista. Por ter o flash separado do seu corpo, a NX1000 consegue ser menor e mais leve do que as concorrentes, porém isso quer dizer que você tem que levar este acessório junto — um pequeno objeto a mais para correr o risco de perder.

O flash que vem com o kit é bem pequeno e simples, sendo tão bom quanto qualquer flash embutido, mas ele pode ser substituído por qualquer modelo mais avançado, já que a sapata é exatamente a mesma de modelos profissionais.

Carregador

Nós falamos em outras análises sobre o modelo de carregamento interno da bateria e como isso pode ser prejudicial, já que a câmera precisa ser inutilizada por alguns instantes para recarregar, porém ele tem algumas vantagens que fazem falta na NX1000; a maior delas é a praticidade: o carregador desta máquina é enorme.

O ideal seria que ela pudesse ser carregada via USB, como as compactas da marca, porém tivesse também a opção de ser usado o carregador externo para as baterias extras. Juntando as lentes, o flash e o carregador, é preciso uma bolsa grande para levar todo o equipamento, algo que poderia ser evitado, já que a ideia de uma mirrorless é ser mais prática do que uma dSLR.

Vale a pena?

A NX1000 não é exatamente uma câmera barata, ela pode chegar a custar 2000 reais ou até mais, dependendo da loja. Logo, a pergunta aqui é: que tipo de câmera você precisa? As mirrorless são boas para um público específico, o de fotógrafos aspirantes que estão entrando na profissão, começando a estudar agora e querem um equipamento que misture o melhor das compactas com a qualidade das profissionais.

Vale a pena comprá-la para usar no dia a dia? Se você não se intimida pelo preço e quer a melhor qualidade possível em uma câmera pequena, sim, vale a pena. Caso contrário, pode ser melhor optar por uma compacta como a WB850F ou mesmo a WB150F.

A NX1000 é boa e vale muito a pena para ser uma segunda câmera para fotógrafos profissionais, já que ela pode ser levada para qualquer lugar facilmente, possui qualidade avançada e controles totalmente manuais. O preço pode assustar, mas a experiência de uso não deixa à desejar.

Cupons de desconto TecMundo: