Ainda que o ano seja 2015 e que esteja cada vez mais óbvio que divulgar fotos ou vídeos íntimos de outra pessoa seja crime, há quem diga desconhecer o chamado “revenge porn”, que nada mais é do que se vingar de uma pessoa expondo sua vida íntima na internet – na maioria dos casos, as vítimas desse tipo de vingança são mulheres.

A seriedade dessa atitude é incontestável, mas ainda assim é preciso trazer à tona frequentemente que o revenge porn não é apenas um novo tipo de agressão. Pode ser julgado como crime também. Por isso causaram tanto espanto o clipe e a letra da música “Eu vou jogar na internet”, da dupla sertaneja Max & Mariano, que quase ninguém conhece.

Reprodução

Com trechos como “Eu vou jogar na internet nem que você me processe, eu quero ver a sua cara quando alguém te mostrar; quero ver você dizer que não me conhece” e “você mente que nem sente; semana passada mesmo, a gente ficou; sem que você percebesse, eu gravei de nós um vídeo de amor”, a música deixa claro que houve revenge porn e que o tal vídeo “jogado” na internet foi feito sem consentimento.

Isso sem falar no verso “nem que você me processe”, que dá margens para interpretarmos que os compositores sabiam, sim, que estavam falando sobre um tipo de crime. Só não imaginaram, talvez, que a repercussão seria tão negativa.

O fato é que a música e o clipe – com cenas que ensinam truques de gravação sem levantar suspeitas – causaram revoltas nas redes sociais, onde a composição adquiriu um tom bem mais realista e menos engraçadinho: apologia ao crime. Ao perceber a gravidade da situação, a dupla retirou o vídeo do ar e, por meio de sua assessoria de imprensa, publicou uma nota de esclarecimento.

“O nosso intuito mostrando a nova música é relatar um momento vivido nos dias de hoje pela sociedade e jamais fazer qualquer tipo de apologia ao ‘revenge porn’. Nossas sinceras desculpas! Nunca imaginávamos que isso aconteceria, nunca passou pela nossa cabeça tamanha proporção e negatividade, não somos a favor de revenge porn, não sabíamos sobre tal”, diz parte da nota, que não comentou, porém, como poderiam não saber sobre a gravidade do assunto e, mesmo assim, usar na letra o verso sobre processo jurídico.

O Correio Braziliense ouviu o advogado especialista em direito digital Leonardo Zanatta. De acordo com ele, a dupla deve, sim, ser denunciada tanto nas redes sociais quanto na Polícia Federal: “Além de ser de extremo mau gosto, trata-se de apologia ao crime: eles fazem apologia à exposição vexatória de alguém”, resume o especialista.

Via EmResumo

Cupons de desconto TecMundo: