O tráfico internacional de drogas sintéticas envolve um montante de dinheiro muito maior do que grande parte das pessoas imagina e não é surpreendente que isso envolva também uma ampla concorrência em diversos países. Um caso bem claro disso está na Hungria, onde traficantes disputam o mercado com doses altíssimas de ganância — as drogas no país são relativamente acessíveis, o que aumenta o “mercado”.

Agora, o Escritório do Serviço Nacional de Saúde e Medicina Públicas (NPHMOS, na sigla original) enviou um comunicado para os húngaros para que eles evitem o consumo de um novo tipo de droga sintética, ainda desconhecido pelos laboratórios do país. De acordo com a publicação realizada no Facebook, pelo menos 15 pessoas foram hospitalizadas com sintomas bem complicados.

O que existe de comum entre eles foi o consumo de uma pílula como a vista na fotografia acima. Se você está achando que já viu esta letra “F” em algum lugar, não está imaginando coisas... A pílula foi realmente criada com total inspiração na logo do Facebook. Os motivos pelos quais os traficantes utilizaram o símbolo para a criação da kábítószer (“droga”, em húngaro) são desconhecidos, mas há suspeitas.

Apesar de não haver nenhuma confirmação de quem sejam os responsáveis pela sintetização da droga, estima-se que o formato tenha sido usado para atrair usuários mais jovens e que se identifiquem com a rede social de alguma forma. O NPHMOS alerta que o desconhecimento da procedência destas pílulas pode ser um risco à saúde muito maior do que o visto normalmente com os produtos deste tipo.

Cupons de desconto TecMundo: