Aparentemente, não é só no Brasil que os detentos conseguem acesso ilegal a celulares ou internet. Gavin Ward, que está cumprindo pena por assassinato em uma cadeia em Kent, na Inglaterra, achou que seria uma boa ideia entrar em um site de relacionamentos do país. Diretamente do conforto da sua cela, ele usou um nome falso para criar um perfil e conhecer mulheres para – quem sabe – descolar uma namorada futuramente.

O serviço escolhido pelo criminoso foi o “Plenty of Fish”, no qual ele se cadastrou e postou diversas fotos de si mesmo, posando no interior da prisão. Sem muitas preocupações em explicar sua situação, Gavin tentou dar uma de galã na própria descrição. “Estou procurando novas pessoas para conhecer e, quem sabe, talvez encontrar alguém especial”, escreveu. Entre seus interesses pessoais, ele escolheu idas à academia, uma boa comida e visita a adegas.

Assim que o ato ilegal foi detectado, o usuário teve seu perfil deletado da página de relacionamentos a pedido do Serviço Prisional inglês, que afirmou que os presos não recebem autorização para usar esses tipos de meio de comunicação. Um representante do órgão disse que os detentos pegos acessando a rede “têm seus privilégios removidos e podem ser denunciados à polícia para medidas adicionais”.

Gavin, de 32 anos, cumpre pena de no mínimo 17 anos após ter assassinado Christopher Mills, 22, em janeiro de 2006. Na ocasião, ele utilizou uma espada samurai para atacar o amigo na própria casa dele. A morte de Christopher foi presenciada por sua namorada e pela filha de cinco anos, ambas escondidas dentro de um guarda-roupas.

Cupons de desconto TecMundo: