Assim como Chuck Norris, Angus MacGyver é uma lenda viva do mundo da ficção. O agente secreto ficou famoso nas décadas de 80 e 90 devido ao seriado que levava o seu nome (conhecido inicialmente no Brasil como Profissão: Perigo), em que ele realizava proezas que pareciam quase impossíveis.

MacGyver não usava armas e resolvia os seus problemas graças aos conhecimentos científicos, materiais comuns e um canivete suíço que sempre carregava no bolso. Sua fama é resultado dessas proezas que realizava, já que o personagem era incrivelmente versátil.

(Fonte da imagem: Reprodução/ColinFurze)

Se Norris é considerado um ser imortal, invencível e incrivelmente poderoso, MacGyver é retratado por suas incríveis habilidades de sair de qualquer enrascada com suas capacidades inventivas surpreendentes.

Mas não é apenas na ficção que existe um MacGyver: o mundo real também conta com sua versão do habilidoso e inusitado agente. Ela se chama Colin Furze, um encanador, dublê, cineasta e inventor britânico maluco que criou o hábito de quebrar recordes mundiais com suas criações nada convencionais.

Listamos aqui algumas de suas proezas que mostram que, para Furze, o céu é o limite. Confira!

Carrinho envenenado

Já imaginou cruzar com um cara na rua dirigindo um carrinho de bebê a uma velocidade de 80 quilômetros por hora? Colin Furze. Parece que, além de inventor, o britânico também é um pai preguiçoso: cansado de empurrar o carrinho para cima e para baixo, ele resolveu turbinar o “veículo” e simplesmente quebrou o recorde mundial de velocidade.

Furze precisou adicionar um motor ao carrinho de metal prateado para atingir tal velocidade. Ele levou quatro semanas para projetar e fabricar o “veículo” e gastou aproximadamente 450 libras esterlinas (1.460 reais) no equipamento, que tem um motor de moto de 125 cc escondido entre as rodas.

O carrinho conta também com duas alavancas (uma de aceleração e outra de freio) e botões de liga e desliga fixados à barra do “veículo”.

(Fonte da imagem: Reprodução/ColinFurze)

Os vizinhos de Furze ficaram espantados com a velocidade que o pai mais rápido do mundo atinge com o seu brinquedo, mas o inventor conta que muitos lançam olhares invejosos, principalmente nas subidas. Compreensível.

O veículo para bebês superveloz ainda tem espaço para compras e um suporte para bebidas na lateral. Segundo Furze, é um pouco assustador dirigí-lo devido à instabilidade gerada pela alta velocidade, e o medo de cair no asfalto áspero é muito grande. Mas, até agora, ele se saiu bem em todas as viagens.

Apesar do carrinho ser projetado para levar um bebê, a intenção de Furze era apenas quebrar o recorde mundial do Guinness. Entretanto, ele ainda pretende levar o seu filho para dar um passeio no invento, embora sua mulher já tenha discordado dessa (perigosa) ideia.

Voando baixo

Muito antes de criar o carrinho de bebê mais rápido do mundo, o engenhoso britânico já havia construído a “mobility scooter” (aqueles carrinhos de mobilidade elétricos) mais rápida do mundo. Furze disse que a ideia de desenvolvê-la foi elaborada a partir de algumas queixas sobre como esse tipo de veículo é lento.

Furze adaptou a “scooter mobility” inserindo também um motor de moto de 125 cc. Seu objetivo era estabelecer um recorde mundial ao atingir 100 km/h com o veículo. Para isso, o Guinness autorizou o inventor a mudar apenas o motor da scooter especial.

Quebrar a marca de 100 km/h foi fácil, pois o veículo chegou a incríveis 111 km/h. Depois de bater o recorde, Furze resolveu comemorar de uma maneira completamente inusitada: ele disputou uma corrida contra um avião DR400 de motor único em uma pista de pouso e descolagem. Furze até levou uma vantagem inicial, mas o avião logo conseguiu ultrapassá-lo.

Capacete pra quê?

O vídeo acima mostra uma peculiaridade em se tratando de Colin Furze: ele está usando um capacete. Mas parece que o inventor não se preocupa muito com segurança, já que ele usa o acessório de proteção apenas para subir uma escada, e não durante a prova que realiza. Totalmente insano.

O britânico está montado em uma scooter da Honda (similar a uma Biz) e em poucos segundos sobe ao paredão para começar a circulá-lo, praticamente paralelo ao chão. É possível ver no vídeo que ele está apenas alguns metros acima do piso, a uma velocidade média de 40 km/h. Um erro seria fatal.

Caiaque na estrada

Furze parece que tem uma espécie de paixão louca por velocidade. Em uma de suas aventuras alucinantes, o cineasta resolveu usar uma caminhonete para ser puxado por uma estrada cheia de neve a bordo de um caiaque. É a sua versão de trenó completamente improvisada e diferente.

Em um determinado momento do vídeo, você consegue ouvir Furze gritando para o motorista aumentar a velocidade da caminhonete para 40 mph (64 km/h). O esporte novo se assemelha a uma versão mais arriscada do esqui aquático, em que uma falha no gelo poderia jogá-lo aos arbustos, em vez de ondas.

Cabe mais um?

Andar de moto é uma opção mais econômica do que dirigir um carro. Mas e que tal dividir o combustível da moto com outras 24 pessoas? Uma verdadeira moto-ônibus-táxi? Furze levou nada menos que dois anos e meio para criar essa incrível e gigantesca moto do vídeo acima, feita no quintal de sua mãe.

O surpreendente é que a velocidade que ela alcança é muito maior do que a maioria das pessoas imagina: 50 km/h, um valor alto considerando que a extensa moto é baseada em uma pequena scooter. Essa marca foi alcançada sem a presença dos outros 24 “pilotos reservas”, mas, ainda assim, impressiona.

A moto modificada pode render a Furze mais um recorde mundial do Guinness. Segundo o britânico, é muito difícil conduzir a moto pelo fato de ela ser extremamente pesada. Por isso, ele acredita que, se o recorde for confirmado, será difícil de alguém quebrá-lo por um longo tempo.

Queimando tudo

Nem só de velocidade vive Furze.  O britânico conseguiu mais um recorde mundial ao criar a maior fogueira do planeta, em 2006.

Ela foi acesa de uma forma totalmente inusitada: um foguete foi lançado no meio do material combustível, aceso por um maçarico. O vídeo começa com uma visão noturna (aquela que deixa tudo verde), mas logo que o fogo é aceso ela não é mais necessária.

De acordo com o Guinness, a fogueira feita por Furze tinha um volume total de 1.401,6 metros cúbicos e foi acesa em Thistleton, Leicestershire, Reino Unido, no dia 14 de outubro de 2006.

.....

Mas isso não é tudo, minha gente. O cara é louco, e você pode conferir muito mais de suas peripécias em seu canal do Youtube. A fama já conquistada por Furze pode levar ele a alcançar voos maiores. Talvez seja apenas uma questão de tempo para que o inventor maluco consiga um canal patrocinado no YouTube ou até mesmo um programa próprio de televisão.

Fontes: Daily Mail (1), (2) e (3)

Cupons de desconto TecMundo: