No IMDB, o filme “Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal” recebeu 6,4 como nota de avaliação de leitores e críticos do site. Mas no mundo real, as pessoas parecem ter gostado menos ainda da última aventura do herói.

Uma cena que até hoje não foi bem digerida pelos fãs é aquela em que ele se esconde dentro de uma geladeira para escapar de uma explosão atômica. Se você ainda não assistiu, confira o vídeo acima. Temos certeza que, depois de vê-la, você estará se perguntando se é possível mesmo sair ileso dessa forma.

Para responder a essa questão, Shechner, biofísico e bioquímico do site Overthinking It, analisou a cena sob o ponto de vista científico, levantando, por exemplo, dados sobre o poder da bomba detonada na ocasião. Com base na localização e na data do experimento enfrentado por "Indy", o autor do texto estima que o poder de detonação da bomba estava em torno de 10 a 44 quilotoneladas, o que equivale à explosão instantânea de até 40 mil toneladas de TNT.

Depois disso, Shechner estimou o peso da geladeira com Indiana Jones e chegou à conclusão de que, ao ser disparado, o aventureiro dos cinemas teria sofrido uma força de 2.605.760 Newtons, o equivalente a ter que aguentar cerca de 3.253 pessoas sentadas simultaneamente sobre ele. Além disso, para ser voar daquela forma, geladeira e arqueólogo teriam que ser posicionados muito próximos do ponto de detonação da bomba, o que acabaria destruindo por completo o nosso herói.

Prováveis causas de morte

Seria pequenas as chances de Indiana Jones se safar daquela explosão (Fonte da imagem: Divulgação)

E mesmo que essa informação não seja levada em consideração, ainda assim Indiana Jones poderia morrer de muitas outras formas. Entre elas, estão

  1. a pressão mínima necessária para levantar a geladeira com Indiana Jones do chão seria suficiente para destruí-los. Basta perceber, por exemplo, que os soviéticos no carro são desintegrados, enquanto o refrigerador continua intacto;
  2. a aceleração seria letal. 2.605.760 Newtons agindo sobre um corpo de 170 kg equivale a uma força-g de aproximadamente 1.560 G. Até hoje, o máximo suportado por um humano em laboratório foi 42 G. Uma aceleração tão grande ainda não foi testada, mas é provável que, no mínimo, quebraria todas as costelas de Indy e ainda faria com que diversas tromboses aparecessem em seu sistema circulatório;
  3. os cálculos são feitos levando em consideração um único objeto de corpo resistente, mas o ser humano é bastante maleável. Por isso, a aceleração e o impacto do refrigerador poderiam quebrar o pescoço do herói;
  4. com o calor do ar externo, o revestimento de chumbo da geladeira seria derretido, comprometendo ainda mais a proteção oferecida ao arqueólogo pela geladeira;
  5. o ar estaria tão quente que a simples respiração de Indiana Jones poderia causar danos irreparáveis aos seus pulmões e garganta;
  6. com a danificação do revestimento da geladeira, Jones também sentiria os efeitos da radiação e, mesmo que ele tenha se safado de uma carga letal, o aventureiro sofreria efeitos colaterais muito desagradáveis, como danos aos ossos, sistema nervoso central e morte por complicações gastrointestinais.

Pelo visto, Spielberg precisará rever sua base científica antes de disparar mais um personagem pelos ares.

Cupons de desconto TecMundo: