Eles reúnem multidões de pessoas apaixonadas pelo esporte. Gigantes de ferro e aço, os estádios espalhados pelo mundo raramente são parecidos. Duas causas podem explicar suas enormes diferenças: as tecnologias, que acabam conferindo um visual diferente, ou apenas os caprichos de seus proprietários e arquitetos.

Mas alguns deles extrapolam o limite do convencional e acabam ganhando um visual realmente excêntrico. Confira a nossa seleção de 10 estádios esquisitos que podem ser inovadores, revolucionários ou simplesmente estranhos. Em que esses projetistas de estádio estão se inspirando?

1. Fervendo

(Fonte da imagem: Sentenced To Write)

Inaugurado em 1986, o Soccer City foi inteiramente reformado para receber os jogos de estreia e encerramento da Copa do Mundo de 2010, além de mais seis jogos. Ele está localizado no bairro de Soweto, na cidade sul-africana de Joanesburgo e tem capacidade para 94.700 espectadores.

Mas o que chama atenção nesse estádio é seu visual, inspirado no Calabash, um tradicional vaso artesanal africano. Esses contornos foram adicionados em sua reforma para a Copa do Mundo de 2010. O revestimento do lado de fora é um mosaico de cores similares à terra e ao fogo, com um anel de luzes ao redor da base da estrutura, simulando o fogo debaixo da panela.

2. Direto do espaço

(Fonte da imagem: Wikimedia Commons)

Localizado na cidade de Sapporo, dentro da ilha de Hokkaido, norte do Japão, o Sapporo Dome foi um dos estádios utilizados para a Copa do Mundo de 2002. Ele tem capacidade para 42 mil pessoas e é utilizado para jogos de baseball e futebol.

O arquiteto Hiroshi Hara projetou a cúpula para permitir que os 6 metros de neve que caem todo ano na cidade sejam retirados facilmente do telhado. A estrutura lembra um óvni que caiu ali e teve seu interior aproveitado para um estádio. O gramado natural se movimenta para fora do local e serve para os jogos de futebol. Um gramado artificial e fixo é usado para os jogos de baseball.

3. Usina Nuclear

(Fonte da imagem: Alltid Leende)

Se você visse esse estádio no Rio de Janeiro, poderia facilmente confundi-lo com a usina nuclear de Angra dos Reis, devido ao seu formato parecido com uma bola branca grande. O Globen está localizado na cidade de Estocolmo, Suécia e é um ginásio multiesportivo com capacidade para 16 mil pessoas.

Ele é atualmente o maior edifício hemisférico do mundo. O Globen representa o Sol no Sistema Solar Sueco, o maior modelo do mundo em escala do sistema solar. Quarenta e oito pilares curvos fornecem suporte para os painéis de alumínio que compõe a fachada da arena, sustentando a cúpula do globo, com 144 claraboias.

4. Baleia universitária

(Fonte da imagem: DBPedia)

David S. Rink Ingalls é uma pista de hóquei localizado em New Haven, nos Estados Unidos. Inaugurado em 1958, tem capacidade para 3,5 mil pessoas e altura máxima de 23 metros. A arena tem o apelido de “A Baleia de Yale”, por seu formato parecido com o de uma baleia e por pertencer a Universidade de Yale.

A estrutura utiliza um sistema inovador, com um arco de concreto armado de 90 metros no qual uma rede de cabos é pendurada, suportando um telhado de madeira. Isso faz com que ele forme uma curvatura de ambos os lados.

5. Centro de Comando

(Fonte da imagem: Populous)

Localizado quase no meio do deserto, O University of Phoenix Stadium é a casa do time de futebol americano Arizona Cardinals. O estádio é inteiramente fechado e tem capacidade para pouco mais de 63 mil torcedores. Foi inaugurado em 2006 e recebeu a Super Bowl, a final do futebol americano em 2008.

O estádio é considerado pela revista Business Week como uma das 10 instalações esportivas mais impressionantes do mundo, devido à combinação de seu teto retrátil e à grama natural que pode ser retirada para fora (da mesma forma que o estádio de Sapporo). Mas ele nos lembra daquele primeiro centro de comando dos Power Rangers. Zordon, você mora aí?

6. Base extraterrestre

(Fonte da imagem: Wikimedia Commons)

O Civic Arena é apelidado de iglu, e ao contrário do que muitos pensam, o estádio é quem deu o nome ao time que joga nele: o Pittisburgh Penguins, de hóquei no gelo. Apesar disso, a ideia é errônea, pois os iglus são feitos pelos esquimós do polo norte, enquanto os pinguins habitam apenas o polo sul. O estádio está localizado na cidade de Pittisburgh, nos Estados Unidos, e tem capacidade para pouco mais de 16 mil espectadores.

Detentor da maior cúpula de aço inoxidável de teto retrátil do mundo, o estádio está em um processo de demolição que se arrasta desde 2007. Parte das autoridades locais quer mantê-lo e tombá-lo como patrimônio histórico. Mas o clube já começou a construir seu novo estádio e pretende transformar o local onde fica o Civic Arena em uma área de escritórios, residências e lojas. Ou uma base para lançar naves alienígenas.

7. Pedreira portuguesa

(Fonte da imagem: Estadio 11)

O Jornal Financial Times o considera como um dos mais originais e belos do mundo. Mas nós o achamos estranho. O Estádio Municipal de Braga tem apenas arquibancadas laterais, pois está encostado no Monte Castro, e por isso é conhecido como “A Pedreira”.  Sua capacidade é de 30 mil pessoas e foi projetado especialmente para a Eurocopa de 2004.

A cobertura do estádio faz referência às pontes construídas pela civilização Inca, no Peru, e segundo seus engenheiros, ele foi construído em “harmonia com a natureza”. A encosta rochosa forma uma parede na lateral do estádio, sendo que a outra é um espaço aberto.

8. Na falta de terra, porque não a água?

(Fonte da imagem: Live in Internet)

A Singapura é o menor país do sudeste asiático, e por isso deve sofrer com problemas de espaço. Com a demolição do Estádio Nacional, parece que não sobrou um lugar para realizar a parada do Dia Nacional da Singapura, e eles tiveram que improvisar. Assim nasceu o Estádio Flutuante Marina Bay.

A arena multiuso foi construída em 2007, e já foi palco de diversos eventos, inclusive da abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos da Juventude em 2010. Ele é feito inteiramente de aço e suporta até 1,07 mil toneladas, mede 118 metros de comprimento e 82 metros de largura.

9. Alpes de vidro

(Fonte da imagem: Wikimedia Commons)

Um estádio que já sediou a abertura dos Jogos Olímpicos de 1972, a Copa do Mundo de 1974, a Eurocopa de 1988 e três edições da Liga dos Campeões da UEFA, em 1979, 1993 e 1997. Esse é o currículo do Estádio Olímpico de Munique, na Alemanha, com capacidade para quase 70 mil espectadores.

O seu teto retrátil tem 75 mil metros quadrados e é considerado um marco da arquitetura esportiva. A ideia era imitar os Alpes e foi considerada revolucionária para e época. Sua enorme cobertura de vidro acrílico é sustentada por cabos de aço, e foi a primeira vez que eles foram usados em larga escala.

10. Vertigem

(Fonte da imagem: Eislamic Arabic)

Não é um estádio, é claro, mas vale a pena entrar nesta lista, tamanha a excentricidade da ideia. Uma quadra de tênis foi criada no lugar do heliponto do opulento hotel Burj Al Arab, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, para divulgar o Dubai Tennis Championships, onde jogaram Roger Federer e Andre Agassi.

O hotel tem forma de uma vela de iate e está instalado em uma ilha própria criada especialmente para ele. O Burj Al Arab é tão luxuoso que mantém uma reputação de sete estrelas, embora tal classificação nem exista (o máximo é cinco). Só mesmo um lugar rico com esse para sustentar a quantidade de bolas de tênis que serão, inevitavelmente, lançadas ao mar e perdidas . 

Cupons de desconto TecMundo: