Pesquisadores da Universidade Pen State criaram um gerador de energia de pequeno porte que funciona com saliva humana. Graças à grande quantidade de material orgânico presente no líquido, ela é capaz de alimentar células combustíveis movidas por micróbios que produzem apenas um microwatt, mas que já é suficiente para rodar aplicações simples no chip do gerador.

A célula é quebrada pelo material orgânico e libera elétrons. As bactérias presentes no interior dessas células decompõem a matéria orgânica e produzem a energia fornecida, transferindo-a para o ânodo. O dispositivo que receber o material medirá a energia da saliva e depois enviará a leitura para um aplicativo em um telefone celular.

(Fonte da imagem: Reprodução/Penn State University)

O futuro da Medicina

Isso tudo ajudará muito a biomedicina eletrônica. Por exemplo: com a tecnologia, será possível saber com precisão a ovulação com base na condutividade da saliva da mulher, que muda cinco dias antes do período fértil. Também será possível medir a glicose em diabéticos, um dos motivos principais pelo qual os pesquisadores desenvolveram o projeto.

Mas não é somente a saliva que permite gerar energia. Qualquer líquido do corpo humano que tenha material orgânico é suficiente. Porém, a saliva é a mais fácil de ser coletada em qualquer lugar e também é o fluido menos nojento de todos eles.

Cupons de desconto TecMundo: