(Fonte da imagem: Reprodução/Bionym)

Nós possuímos tantas senhas para os diferentes serviços que utilizamos que às vezes é complicado se lembrar com facilidade dos códigos de todas as nossas contas. Pensando nisso, a empresa canadense Bionym, de Toronto, criou um produto bastante peculiar e, de certo modo, inovador.

Trata-se da pulseira cardíaca Nymi, capaz de confirmar a identidade da pessoa pelos seus batimentos cardíacos. Desde 1960, já sabemos que os picos das frequências cardíacas variam conforme os indivíduos, graças às variações de formato e de tamanho presentes no coração de cada um. A Nymi consegue comunicar esse código único através de sensores de eletrocardiograma, autenticando desse modo o acesso aos mais variados aparelhos.

Sensor com base nos batimentos cardíacos

As pessoas registram a sua frequência cardíaca tocando no sensor acoplado no topo da Nymi com uma das mãos; o aparelho automaticamente grava a assinatura-padrão de eletrocardiograma do indivíduo. Depois disso, a pulseira só responderá aos batimentos dessa pessoa. O acessório poderá desbloquear as senhas de smartphones, tablets e destravar carros (!) somente com o batimento cardíaco do dono. A autenticação e a liberação das senhas ocorre via sinal Bluetooth – um app oficial da Bionym deve ser previamente instalado nos dispositivos.

Esse método de reconhecimento é capaz de identificar as pessoas de um jeito mais eficiente, já que os elementos biométricos (como íris, digitais e padrões faciais) são externos e podem ser burlados de modo mais fácil. Karl Martin, executivo-chefe da Bionym, disse que o acessório pode descomplicar a vida de muitas pessoas, já que as senhas não precisarão mais ser digitadas constantemente. Quando a Nymi é removida, os aparelhos conectados à pulseira são automaticamente bloqueados.

Um futuro promissor

"Ter um único traço biométrico destravando múltiplos aparelhos com base no reconhecimento de uma pessoa é uma aplicação fascinante e que pode ser utilizada em muitos cenários diferentes, desde que esse traço biométrico seja confiável", disse Arun Ross, da Michigan State University. Aos que acham que a pulseira pode falhar quando os batimentos cardíacos oscilarem, seja por estresse ou por exercícios, Karl Martin diz: "O sistema tolera variações regulares. Não requer que seus batimentos sejam sempre os iguais".

Entretanto, para que a Nymi funcione adequadamente, é necessário que diferentes sistemas sejam compatíveis com o aparelho – algo que a Bionym já está trabalhando com os seus parceiros comerciais. Atualmente, a pulseira está somente nas mãos de desenvolvedores e chegará ao mercado no primeiro semestre de 2014. 

A Nymi custará menos de US$ 100 e será compatível, inicialmente, com aparelhos com iOS, Android, Windows e Mac OS X. Você poderá fazer a pré-venda da Nymi no site oficial do desenvolvedor, clicando aqui.

Cupons de desconto TecMundo: