Atenção: o vídeo está em japonês, mas é possível compreender o funcionamento do sistema pelas imagens.

No Japão, um dos meios de transporte mais populares é a bicicleta, que é utilizada por jovens e adultos para irem às universidades, escolas e até mesmo ao trabalho. Mas, assim como no Brasil, não é sempre que os ciclistas conseguem encontrar locais seguros para deixar as suas bicicletas enquanto estão trabalhando e estudando. Outro problema é o preço muito alto por terrenos japoneses, o que dificulta a construção de bicicletários.

Para resolver esse problema, uma empresa japonesa chamada The Giken Company decidiu criar um novo sistema capaz de armazenar as bicicletas no subterrâneo das cidades. Trata-se do Eco-Cycle, que garante muito mais facilidade e segurança para os ciclistas do Japão. Cada estação garante que até 144 bicicletas sejam guardadas em vagas que ficam até 10 metros abaixo do solo.

O funcionamento delas é relativamente simples. Assim que o ciclista chega em frente à porta de entrada do Eco-Cycle, um dispositivo é acionado para puxar a bicicleta para dentro. Lá, mecanismos complexos identificam uma vaga livre e colocam o meio de transporte no local correto, garantindo que ela fique livre dos perigos das ruas e das alterações do tempo.

No futuro, sistema pode ser empregado também para carros
(Fonte da imagem: Reprodução/The Giken Company)

Quem pode utilizar o Eco-Cycle?

Os japoneses que quiserem utilizar as estações precisam se cadastrar previamente no serviço, assinando um contrato e recebendo um cartão de acesso. É com esse cartão que o sistema identifica o usuário e a vaga reservada para a bicicleta. Na hora de retirar a bike do estacionamento, o processo é o oposto. Basta encostar o cartão na área de identificação e aguardar até 17 segundos para a retirada da bicicleta. O serviço custa cerca de R$ 60 por mês, mas estudantes podem pagar apenas metade desse valor.