Quando o assunto é display para jogos, a BenQ é uma das marcas mais recomendadas. Seus produtos trazem boa qualidade de construção, tecnologias recentes e muitas características requisitadas pelos gamers, o que a tornou uma referência no setor.

Há algumas semanas, a empresa nos enviou o XL2411Z para testes. Este modelo com tela de 24 polegadas se destaca pelo alto nível de brilho, o tempo de resposta reduzido, a taxa de atualização elevada e outras funcionalidades que prometem melhorar a jogatina.

O painel com resolução Full HD visa atender a um público maior, que ainda não migrou para o 4K, mas que faz questão de obter recursos que melhorem os resultados durante a jogatina. Será que temos mais um produto matador chegando neste segmento concorrido? Vamos conferir de perto todas as vantagens do aparelho.

Especificações

Design deixa a desejar

Normalmente, a gente costuma dizer que o fator beleza depende muito do espectador, mas, em alguns casos, há um consenso quanto aos atributos visuais de um determinado produto. No caso do BenQ XL2411Z, nossa equipe foi quase unânime ao criticar o design antiquado do dispositivo, que não segue as recentes tendências e tem alguns elementos bem bizarros.

A verdade é que o design deste monitor talvez até seja interessante, mas não para o presente momento. O BenQ XL2411Z foi anunciado no fim de 2013 e lançado no primeiro semestre de 2014 em alguns países. Este atraso na chegada ao Brasil acabou colocando o produto em uma sinuca de bico, já que ele enfrenta produtos recentes e com visuais mais caprichados.

Oras, mas o que ele tem de tão ruim no design, TecMundo? Bom, para começo de conversa, temos a questão das bordas, que são demasiadamente largas e trazem cantos arredondados que transmitem a sensação de simplicidade, em vez de robustez. Isso é um problema ainda maior para jogadores que pensam em fazer combinações de múltiplos displays.

A base do produto combina com a tela, mas caímos aqui em um conceito já ultrapassado, que é justamente das curvaturas inapropriadas. O pior mesmo é que a BenQ resolveu adicionar um elemento completamente desnecessário na parte de baixo da tela para acomodar todos os botões. A adição dessa região destoa do restante do visual.

Falando nisso, os botões deste monitor ficam em uma posição de difícil utilização e a BenQ optou pela inclusão de vários componentes, em vez de seguir a tendência de um item multidirecional que poderia facilitar a navegação. Não é o fim do mundo, até porque as regulagens são usadas poucas vezes, mas um capricho adicional neste aspecto não faria mal.

Versatilidade é o forte do produto

A coluna de ajustes do posicionamento da tela deste do BenQ é funcional e não apresenta qualquer problema do ponto de vista estético. Ela fica sempre escondida e tem um suporte para os cabos. O componente é robusto e evita trepidações no display, mesmo quando a tela está posicionada em outros ângulos.

Você pode regular a coluna na vertical e alinhar a tela aos olhos sem precisar de um suporte na parte inferior. A regulagem de altura vai de 8 a 21 centímetros, o que garante versatilidade em muitos casos. Não importa se sua mesa é alta ou baixa, tampouco se a cadeira está fora de posição, pois o monitor se adapta a quase todas as situações.

Além dessa configuração, a tela deste BenQ inclinada no eixo horiztonal, mantendo a parte inferior — e consequentemente inclinando também a parte superior — do display para frente ou para trás. A coluna também gira no próprio eixo, permitindo virar o monitor para os lados, sem ter que virar a base.

Outra mudança é a rotação da tela em até 90 graus, o que significa que você pode usar o monitor em modo retrato. Este tipo de ajuste só pode ser efetuado quando a coluna está na altura máxima. Ainda que este tipo de função não seja muito utilizada pelos gamers, é um recurso a mais que pode ser benéfico em situações específicas.

Painel TN de ótima qualidade

O display do BenQ XL2411Z é do tipo fosco, que deixa o visual mais simples, mas ajuda ao evitar reflexos em ambientes com iluminação excessiva. Com boa qualidade de construção, não notamos qualquer tipo de light bleeding (vazamento de luz) nas laterais da tela.

Falando nessa questão da retroiluminação, este aparelho ganha destaque frente a outros concorrentes, oferecendo nível de brilho de 350 cd/m², o que garante imagens extremamente brilhantes e nítidas. O excesso de luminosidade inclusive chega a incomodar os olhos mais sensíveis, mas o modo Eco — ou ajustes rápidos — pode ajudar nesse sentido.

As cores são ainda mais reforçadas graças ao alto contraste dinâmico, que, de acordo com a BenQ, chega a 12.000.000:1. Essa qualidade do produto fica ainda mais evidente no modo Photo, quando o aparelho realça as cores e oferece uma qualidade visual ímpar.

Equipado com painel TN, este monitor promete ótimos resultados em questão de performance, alcançando tempo de resposta de cinza a cinza de apenas 1 milissegundo. As vantagens são perceptíveis na prática, sendo que não notamos qualquer atraso, problemas no input lag ou mesmo efeitos de ghosting.

Mais do que preparado para jogos

Muitos modelos das mais diversas marcas são classificados comercialmente como “gamers”, mas poucos trazem um conjunto tão completo de funcionalidades como este novo produto da BenQ. A começar pela taxa de atualização, é perceptível que o foco deste BenQ é o desempenho máximo.

O painel trabalha com taxa de atualização de 144 hertz, o que na prática é ideal para máquinas de alto desempenho que possibilitam ativar recursos de sincronia vertical e obter uma experiência muito mais rica nos jogos.

Nesse ponto, este produto da BenQ sai na frente ao contar com um gerenciamento de otimização da taxa de atualização. Você pode carregar perfis da web ou criar os seus próprios e alternar rapidamente para uma melhor adaptação em cada situação. Vale notar que, apesar de ser robusto nesse sentido, o XL2411Z não tem tecnologias como G-SYNC ou FreeSync.

Outro diferencial deste modelo é a tecnologia Low Blue Light, que garante jogatina constante durante horas sem incomodar a visão. Essa novidade faz algumas compensações nas cores da tela, garantindo que o jogador se mantenha confortável em frente ao display sem precisar de óculos especiais ou fazer pausas.

Além dessas vantagens, o XL2411Z segue a tendência já vista em outros produtos do mercado, trazendo a tecnologia Flicker-Free para evitar a tremulação da imagem. De acordo com a fabricante, essa novidade funciona em todos os níveis de brilho e dá mais vantagem ao jogador, que não se incomoda em nenhuma situação.

Redução de blur

Uma das coisas que mais atrapalham na hora dos jogos é o famoso “motion blur”, que é aquele efeito de desfoque que acontece ao realizar movimentos bruscos ou quando as cenas são passadas de forma muito rápida na tela.

O motion blur geralmente acontece por um atraso na mudança dos pixels na tela (principalmente em telas do tipo LCD), ou seja, tirando situações em que o recurso é aplicado propositalmente, esse tipo de efeito indesejado mais atrapalha do que traz benefícios. Os principais prejuízos são na qualidade visual e no cansaço após passar algum tempo jogando.

O BenQ XL2411Z é projetado justamente para evitar esse tipo de situação que acaba atrapalhando o bom desempenho do jogador. A tecnologia Motion Blur Reduction foi desenvolvida levando três aspectos em consideração: resolução, tempo de resposta e taxa de atualização.

Na prática, esse recurso exclusivo entrega uma experiência nítida, com muita fluidez e livre de atrasos, algo que não é admissível em jogos de FPS. No fundo, a intenção é uma só: se o seu computador é capaz de oferecer performance de ponta, este display vai acompanhar o desempenho de perto e entregar o máximo durante o gameplay.

Compatível com NVIDIA 3D Vision

Ainda que não estejam presentes de forma nativa em todos os jogos, as tecnologias tridimensionais estereoscópicas vieram para ficar. A BenQ aposta nesta ideia novamente ao incluir compatibilidade com a função NVIDIA 3D Vision 2, que já trabalha com o recurso NVIDIA 3D LightBoost.

Qual é a diferença desta versão para as anteriores? Bom, além de uma imersão mais significativa nos jogos, a mais recente tecnologia da NVIDIA garante visuais mais claros e limpos, o que ajuda muito em questão de conforto visual e experiência como um todo, já que você pode perfeitamente curtir um filme ou jogar por longos períodos sem qualquer problema.

Obviamente, os óculos tridimensionais compatíveis com a tecnologia não fazem parte do pacote, até porque se trata de um componente pouco usado e que acabaria encarecendo o valor total do produto. De qualquer forma, é bom ter a opção.

Consumo de energia

Monitores para jogos são projetados para oferecer o máximo em desempenho para que os consumidores aproveitem seus jogos sem defeitos perceptíveis decorrentes de limitações de recursos. Muitos produtos desta categoria focam especificamente nesta questão, mas deixam de lado um importante quesito: o consumo de energia.

A má notícia é que o BenQ XL2411Z é mais um desses dispositivos que se encaixam nesta categoria. Ao retirar o monitor da caixa, logo percebemos que o adesivo que detalhe a eficiência energética trazia a classificação C (de cor amarela).

Não é um aspecto de extrema preocupação, já que este display ainda consegue ter um bom aproveitamento de energia, mas é um detalhe a ser ressaltado, já que o uso recorrente da tela resultará em um aumento na conta de energia.

Uma boa notícia aqui é que nós não conseguimos chegar ao consumo informado na etiqueta (que é de 36 watts). Mesmo em situações extremas de utilização, este BenQ marcou apenas 29 watts em nosso dispositivo de medição. Abaixo, você confere os valores obtidos com os diferentes perfis do produto:

  • Informado pela fabricante: 36 watts
  • Standard, FPS, Photo: 29 watts (sem blur reduction)
  • Com blur reduction: 16 watts (com blur reduction)
  • Eco: 12 watts (não é possível ativar blur reduction neste modo)

Testes com o produto

Para verificar o desempenho do monitor, nós rodamos uma série de verificações com softwares especializados, que visam colocar os vários aspectos da tela em condições extremas. Os programas utilizados ajudam a conferir a performance quanto ao tempo de resposta, as capacidades de brilho e contraste, perfil cromático e outros pormenores.

É importante notar que algumas verificações também dependem do espectador, uma vez que cada pessoa pode enxergar de forma levemente diferente. Apesar das questões de variação de cor, muitos testes são bem objetivos e possibilitam chegar a conclusões relevantes. Abaixo, nós comentamos um pouco sobre os resultados com cada aplicativo.

Lagom LCD monitor test

O Lagom LCD monitor test é um website que fornece uma série de imagens para testar o contraste, as configurações de resolução, nitidez, calibragem de gama, níveis de preto, saturação de brancos, gradientes, inversão de pixels, tempo de resposta e ângulo de visão.

Para estes testes, nós usamos o modo de exibição-padrão, já que precisamos da configuração de fábrica para identificar possíveis problemas. O BenQ XL2411Z apresentou excelentes resultados em todas as verificações, sem a necessidade de regulagens adicionais.

PixPerAn

O programa PixPerAn foi criado especialmente para testar monitores do tipo LCD. Através de vários scripts, o programa ajuda o espectador a conferir possíveis problemas no tempo de resposta ou nos ajustes de brilho, dois aspectos que costumam incomodar jogadores.

Bom, é importante constatar que notamos alguns inconvenientes no que diz respeito ao flicker screen. No modo padrão, o display da BenQ demora a eliminar todo o efeito de cintilação. Felizmente, tal problemática pode ser resolvida com a ativação da configuração Blur Reduction.

Com o uso desta opção, há uma grande redução nas cores e contraste geral do display, mas isso não deve incomodar muitos os gamers que buscam o máximo em desempenho.

Alguns atrasos no tempo de resposta foram perceptíveis no teste das bandeiras, sendo que o monitor exibiu leves rastros em situações que há uma grande diferença no contraste. O mesmo vale para o “chase test”, quando ainda pudemos perceber rastros da cor branca sobre o fundo azul escuro. Os demais testes com o PixPerAn correram perfeitamente normal.

É válido constatar que os testes deste software colocam o monitor numa saia justa, já que se tratam de situações irreais e visam apenas evidenciar problemas da tela. No caso do BenQ XL2411Z, os inconvenientes foram mínimos e não foram constatados durante a execução dos jogos. Ponto para a BenQ, que mais uma vez acertou nos principais recursos para os gamers!

Vale a pena?

O BenQ XL2411Z é um monitor que superou nossas expectativas. As várias tecnologias embutidas no produto garantem experiência de primeira para jogadores que buscam alto desempenho. As principais vantagens ficam por conta de recursos como o Flicker Free, o Motion Blur Reduction e a alta taxa de atualização.

A qualidade de imagem também é impressionante, proporcionando visuais estonteantes em todos os games. O display tem altíssimo nível de brilho, taxa de contraste elevada e boa gama do padrão NTSC. Tudo isso colaborou para que o aparelho tenha obtido bons resultados nos testes mais rigorosos.

Apesar de nossas críticas pontuais quanto ao design deste modelo, acreditamos que os únicos pontos que deixam a desejar é a ausência da tecnologia G-SYNC e a falta de uma conexão DisplayPort. Claro, não são características que impossibilitam a boa execução dos jogos, mas são aspectos que já garantiriam melhores resultados.

Bom, vamos falar de números reais. Primeiro, é importante constatar que o XL2411Z custa US$ 269 (R$ 1.035) nas lojas dos Estados Unidos. No Brasil, de acordo com a fabricante, este dispositivo chega por R$ 1.899 (e será ofertado na loja Game7). A discrepância no valor é curiosa, mas há questões de importação e a atual situação da nossa moeda que complicam nesse aspecto.

Quanto ao posicionamento de mercado, não podemos dizer que ele está fora da faixa de preço. Em nossas pesquisas, constatamos que ele chega pelo mesmo valor do BenQ XL2430T (modelo que já vem com DisplayPort), mas muito acima do Philips 242G5DJEB, que, apesar de não ter os mesmos recursos, leva vantagem no preço (R$ 1.169).

Por outro lado, o valor sugerido está abaixo do que é cobrado pelo ASUS VG248QE, que já tem tecnologia 3D Vision (sendo um concorrente bem direto) e chega ao consumidor por cifras que passam a casa dos 2 mil reais.

No fim das contas, é preciso considerar se você necessita de todas as vantagens do BenQ XL2411Z, já que o investimento é consideravelmente alto. Temos aqui um aparelho excepcional, mas que é focado em um público bem específico, ou seja, gamers que precisam de alta performance.

Cupons de desconto TecMundo: