Aquela busca diária por uma tomada antes que seu celular chegue em 0% pode acabar: a fabricante Hitachi alega ter descoberto e desenvolvido uma nova tecnologia que pode dobrar a capacidade de armazenamento de energia de um produto portátil sem aumentar a espessura da bateria.

A novidade se chama ULSiON e envolve um material baseado em silício e revestido por uma camada de carbono, usado como o eletrodo negativo da bateria. Essa substância reduz o risco de inchaço nas baterias por impedir que as camadas do eletrodo expandam e contraiam.

Como resultado, a Hitachi planeja o desenvolvimento de "baterias de íon-lítio que tem uma largura de 13 mm ou menos e uma densidade de energia duas vezes maior que os produtos existentes do mesmo tamanho". Assim, smartphones — e dispositivos ainda menores, como smartwatches — continuariam tão finos quanto hoje ou ainda menores, mas com baterias mais poderosas.

Como espaço adicional no interior dos aparelhos é uma meta de toda fabricante e longa vida de carga também é um objetivo geral, a empresa espera que sua criação torne-se rapidamente um sucesso. A tecnologia ULSiOn deve ser demonstrada ao público pela primeira vez em uma feira de wearables no Japão que acontece entre 13 e 15 de janeiro.

O que é melhor: maior autonomia de bateria ou melhor desempenho? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: