Não é raro ouvir ou experimentar casos de “quase morte de bateria”. Aquele seu tão eficiente portátil, que antes segurava carga durante seis, sete horas, agora apenas sobrevive se ligado a tomadas – eu mesmo tenho um notebook que, se por algum acidente tiver seu cabo de força desconectado, simplesmente apaga em não mais de dez segundos.

Fato é que o tempo de vida útil de bateria é assunto preponderante no mundo dos gadgets. E, por isso, alguns pontos-chave sobre as principais diferenças entre as baterias dos notebooks e ultrabooks vão ser, nesta matéria, desvelados. O que realmente importante na hora de avaliar ou controlar o consumo de energia deste ou daquele portátil?

(Fonte da imagem: Reprodução/WikimediaCommons)

Quantidade média de ciclos existentes nas baterias de ultrabooks e notebooks (e o que são os tais ciclos), de que forma os hábitos de uso podem influenciar a “vitalidade” do computador e como e quando recarregar o aparelho são alguns dos temas tratados a seguir.

Ciclos, o que são?

Os computadores móveis da atualidade se alimentam de baterias de lítio (Li-Ion), compostas por várias células conectadas em série e em paralelo. Elas são mais leves, armazenam mais energia e retêm carga por mais tempo se comparadas às obsoletas baterias de níquel.

Agora, para que possamos avaliar de forma adequada as diferenças de tempo de vida entre notebooks e ultrabooks, é preciso entender o que é, por fim, um ciclo: período de descarga e carga completa de uma bateria. Assim, para explicar o funcionamento do sistema de medição dos ciclos, imagine a seguinte situação:

Mesmo que você utilize apenas metade da carga (50%) e, logo em seguida, recarregue a bateria totalmente, os 50% de energia restantes ainda vão contar, quando consumidos, como um ciclo completo. Essa relação funciona de forma proporcional, conforme mostra o gráfico abaixo:

Ciclo de carga: equivale a usar e recarregar 100% a capacidade de carga de uma bateria. (Fonte da imagem: bbaterias)

Média de ciclos em baterias de notebooks e ultrabooks

Em linhas gerais, podemos pensar o seguinte: quanto mais ciclos a bateria de um portátil tiver melhor. É preciso notar, no entanto, que a quantidade de ciclos não garante uma duração prolongada de energia durante o uso de um ou outro aparelho; um tempo de vida maior, porém, pode até ser constatado nos casos de baterias com mais ciclos.

De toda forma, no que tange à capacidade de recargas, diferenças substanciais se mostram existentes entre as configurações de ciclos de ambos os aparelhos aqui analisados: enquanto a maioria das baterias dos notebooks suporta entre 300 e 500 ciclos (algumas, raras, podem chegar à marca dos 1.000 ciclos), as dos ultrabooks chegam a possuir de 1.000 a 1.500 ciclos — confira aqui quantos ciclos os aparelhos da Apple possuem, por exemplo.

Isso significa, portanto, que o tempo de vida das baterias dos ultrabooks é eminentemente maior se comparado à “vitalidade” dos notebooks. Entretanto, a quantidade de ciclos – apesar de ser sumariamente importante no que toca à quantidade de recargas possíveis – não é capaz de determinar por si só a superioridade deste ou daquele aparelho no quesito uso de energia.

E, antes de qualquer julgamento precipitado, é preciso considerar outro fator que, quase tão importante quanto a quantidade de ciclos de uma bateria, pode – aí sim – determinar a qualidade de uso de energia: a administração feita por quem utiliza um ou outro portátil.

Hábitos saudáveis

De nada adianta adquirir uma bateria com milhares de ciclos e, por falta de “educação logística”, consumi-los todos em um ou dois anos. É preciso, portanto, que hábitos saudáveis de administração do uso de energia, somados, por óbvio, às potências dos ciclos de cada bateria, sejam devidamente adquiridos por quem possui quer um notebook quer um ultrabook.

Para que a sua bateria seja usada da melhor forma possível, confira algumas destas dicas:

  • Use seu portátil ligado à tomada sempre quando possível (com ou sem a bateria conectada?). Mas se for preciso desconectá-lo, o faça sem medo. As baterias de notebooks costumam durar de dois a três anos; as de ultrabook, de quatro a cinco;
  • Se for preciso deixar seu aparelho desligado durante longos períodos de tempo (mais de dois dias), procure retirar a bateria com cerca de 40% de carga;
  • Evite deixar sua bateria chegar a 0% para carregá-la (o ideal é ligá-la a uma fonte de energia em torno dos 40% de carga restantes); e
  • Mantenha a parte inferior do seu portátil sempre bem ventilada (o calor é um dos grandes “vilões sugadores de energia”).

    Importante: a duração das baterias de notebooks, em média, varia de três a quatro horas. As de ultrabooks podem durar de cinco a oito horas. Mas essa variação se deve a quê? Apenas à quantidade de ciclos? Na verdade, não. A tecnologia de administração de energia sofreu, nos últimos anos, otimizações que potencializaram o desempenho dos portáteis – colocando-os (especialmente os ultrabooks) em um novo patamar.

    Monitore o desempenho de sua bateria

    Já pensou em monitorar o consumo de energia do seu computador, a temperatura da CPU e até mesmo a quantidade de ciclos disponíveis na sua bateria? Pois com BatteryCare, um programa gratuito, leve e todo em português, isso é possível. Para baixá-lo, clique neste link e aprimore ainda mais seus hábitos de administração de energia. E se você deseja acompanhar mais dicas sobre o uso saudável da bateria de notebooks, clique aqui.

    Cupons de desconto TecMundo: