(Fonte da imagem: iStock)

Lançado em 2011, o Plano Nacional de Banda Larga será atualizado já em 2013. A ideia do Governo Federal de usá-lo para universalizar o acesso à internet rápida no país ganhará novas medidas e também novos métodos, sendo o principal deles a oferta de conexão via rede elétrica.

Nesse caso, o sinal da conexão é enviado pelos cabos de cobre da rede, não por meio da eletricidade. É necessário apenas conectar o modem na tomada para estar ligado à rede mundial de computadores. Além disso, a nova versão do PNBL vai exigir das operadoras que ofertem velocidades maiores em cidades onde o plano já está estabelecido.

Internet via rede elétrica

Como a rede elétrica no Brasil conta com uma infraestrutura muito maior do que a rede de telecomunicações, o Ministério das Comunicações espera que esse seja o ponto de partida para a universalização de fato do acesso à internet.

O modelo utilizado pelo Governo Federal será o dos “smart grids”. A medida, segundo a Folha de S. Paulo, será incentivada por uma nova determinação da Agência Nacional de Energia Elétrica, a Aneel. Ela garante que, até 2014, as empresas do setor de distribuição de energia elétrica deverão oferecer os novos medidores aos consumidores, que possibilitam o uso da nova tecnologia.

O ministro das Comunicações Paulo Bernardo afirma que o modelo será usado em locais em que ele seja mais barato do que a tradicional rede de telecomunicações. “Há lugares em que podemos fazer [a conexão] com rapidez e muito mais barato se for através de medidor. Na Av. Paulista, onde todo mundo tem internet, o medidor não precisa ser uma ferramenta”, relata Bernardo.

Cupons de desconto TecMundo: