Um projeto que está sendo desenvolvido em parceria com a Universidade Carlos III de Madrid (UC3M) e a empresa AXTER promete diminuir a quantidade de acidentes que ocorre com aviões de pequeno porte.

O sistema é um motor elétrico que é acoplado ao propulsor principal da aeronave. Como o dispositivo tem um tamanho bastante reduzido, o motor, o carregador e a bateria de lítio podem ser adaptados a quase qualquer avião sem que modificações estruturais precisem ser realizadas.

Caso o motor principal apresente alguma falha ou o avião fique sem combustível, o mecanismo pode manter a hélice girando e proporcionar até 40 HP durante 20 quilómetros, o que é mais do que suficiente na maioria dos casos para permitir que o piloto faça um pouso de emergência em um local adequado.

O aparelho é tão flexível que pode até mesmo entrar em funcionamento junto com o motor de combustão principal, adicionando mais potência se necessário e atuando como uma espécie de modo “turbo”.

“Nós tentamos salvas vidas e evitar acidentes relacionados com a perca de potência, isto é, quando o motor apresenta uma falha ou o avião fica sem combustível. Não podemos esquecer que todos os anos são registrados pelo menos 600 acidentes, 70 mortos e 24 milhões de euros de prejuízo na Europa e nos Estados Unidos”, explica Miguel Ángel Suárez, da AXTER Aerospace.

O sistema, que ainda não teve o nome revelado, está em processo de comercialização e registro de patente ao redor do mundo. Quando estiver pronto, ele poderá ser instalado em qualquer tipo de monomotor e também em outros equipamentos, como barcos, drones e outros veículos aéreos não tripulados.