O diretor-executivo da United Airlines, Jeff Smisek, estimou nesta terça-feira que é muito difícil para um passageiro invadir os sistemas de computador de um avião de passageiros para modificar os parâmetros de voo, embora não exclua inteiramente esse risco.

"Nós não sabemos se é possível ou não, mas os fabricantes de equipamentos, até onde sei, dizem que hoje isso não é possível", afirmou Smisek perante uma comissão do Senado dos Estados Unidos.

Um passageiro em um voo da United Airlines disse, falando para vários meios de comunicação norte-americanos, que havia conseguido invadir o sistema informático do avião em que viajava e modificado a rota agindo sobre um reator. Ele teria feito isso usando o sistema wi-fi disponível para os passageiros.

O FBI questionou o passageiro brevemente, depois que ele escreveu mensagens no Twitter revelando sua suposta intrusão no sistema da aeronave.

"Eu acho que, como indústria, temos de considerar seriamente qualquer ameaça", apontou Smisek, ressaltando que "há fortes barreiras entre o sistema wi-fi e o comando" da aeronave.

WashingtonEstados Unidos

Via EmResumo