(Fonte da imagem: Reprodução/The Verge)

Já se passaram vários dias desde o fatídico desaparecimento do avião da Malaysia Airlines, e até agora nenhuma busca trouxe resultados. Um esforço feito pela Digital Globe, no entanto, pode fazer a diferença: a empresa empregou dois de seus satélites para analisar parte das zonas onde acredita-se que o avião caiu e que ainda não foram rastreadas por outros meios.

Mas a ideia deles não vai se limitar a apenas isso – afinal, de que adianta conseguir montes de imagens sem ninguém para analisá-las? Segundo Luke Barrington, gerente sênior de dados geoespaciais da Digital Globe, todas as imagens estão sendo analisadas por um grupo de 100 mil voluntários, o que pode fazer a diferença na hora de encontrar rastros do veículo.

Trabalhando em equipe

Infelizmente, é preciso dizer que os esforços até o momento não tiveram resultado, sem qualquer sinal do Boeing 777-200. Áreas como a área norte do Estreito de Malacca, por exemplo, ainda não foram vasculhadas, sendo programadas para tal ainda hoje, segundo o The Wall Street Journal.

Mesmo assim, vale elogiar não apenas os esforços da Digital Globe, que está fazendo isso de graça, como também o trabalho dos voluntários. De fato, o site Tomnod, no qual as imagens dos satélites foi divulgada, relatou um pico de 500 mil visitas durante as 24 horas em que o caso ocorreu, não só quebrando os recordes de acesso na página como também forçando os servidores dela a serem reiniciados.