(Fonte da imagem: Reprodução/GE Reports)

A história da aviação mostra uma constante evolução na busca pelo melhor desempenho, com empresas que sempre se superam nesse sentido. A GE Aviation, por exemplo, conseguiu desenvolver um motor a jato que, além de ser o maior existente no mundo, também é mais potente do que o visto em foguetes da década de 60.

Desenvolvido exclusivamente para as aeronaves 777 da Boeing, a série GE90 ganhou vida a partir do Motor Eficiente em Energia da NASA criado nos anos 70, tendo como seu principal representante o GE90-115B.

O GE90-115B tem 5,4 metros de largura e 3,5 metros de extensão, além de apresentar uma turbina de 3,2 metros e pesar 8,2 toneladas. Em sua construção, foi usado um material composto de cerâmica que pode aguentar temperaturas de até 1.315 °C, e ele economiza até 10% a mais de combustível por voo se comparado a outros modelos da mesma série.

Potência 

Sobre a potência, o motor conseguiu alcançar 546.98 kN em testes feitos em instalações da GE nos Estados Unidos. Detalhe: ele não estava em seu limite, e de acordo com os engenheiros esse foi apenas um “teste simples” para ver o que ele conseguiria fazer.

E ainda é possível associar mais um recorde ao GE90-115B: ele é o responsável pelo voo comercial mais longo da história. Realizado em 1995, o motor auxiliou o avião a ir de Hong Kong a Londres sobrevoando o Pacífico, os Estados Unidos e o Atlântico em 22 horas e 42 minutos.