(Fonte da imagem: Crikey)

Os aviões da Boeing estão prestes a ganhar uma novidade bem interessante. As aeronaves do modelo 737-800 vão passar a contar com uma pequena diferença em cada uma das grandes asas presentes no avião. Estamos falando de pequenas estruturas nas extremidades, que fazem com que alguns conceitos relacionados à aerodinâmica sejam mais bem aplicados — o que é ótimo em termos financeiros.

As pequenas asas fazem com que a pressão do ar (que é maior na superfície inferior) flua em direção às pontas. O ar acaba sendo empurrado para cima e reduz as perdas de energia que aconteceriam quando esse mesmo ar chegasse às pontas de uma asa comum. Essa perda de energia pode parecer pequena, mas o melhor aproveitamento dela pode gerar economias de combustível em cerca de 2% — o que pode representar US$ 200 milhões em um ano.

Para as situações de voo-cruzeiro, há expectativa de que os aviões ganhem até 40% de desempenho, o que pode ser muito interessante para as empresas de aviação. Por enquanto, apenas os Boeings 737-800 da United Airlines vão contar com a nova tecnologia, mas é possível que outras empresas acabem adotando o sistema em breve.