(Fonte da imagem: Reprodução/TheVerge)

No começo deste ano, a Boeing interrompeu as operações das suas aeronaves no mundo todo por conta de um defeito na concepção da bateria que era utilizada na época — uma delas derreteu, resultando na realização de um pouso de emergência. No entanto, o problema havia sido resolvido, fazendo com que as atividades das linhas áreas voltassem ao normal.

Contudo, um novo problema alertou a companhia para futuros problemas com os seus veículos. Na tarde desta sexta-feira (12), um Boeing 787 Dreamliner pegou fogo em um voo de testes na Inglaterra, mais precisamente no aeroporto de Heathrow. A aeronave é de propriedade da empresa Ethiopian Airlines, sendo que o acidente interrompeu as decolagens e os pousos realizados no local enquanto as chamas eram apagadas.

Futuro incerto

A boa notícia é o fato de que, como eles estavam testando o desempenho do avião, não havia passageiros dentro do veículo, de modo que ninguém se feriu. Além disso, o fogo foi controlado em pouco tempo, não resultando em muitos danos ao aeroporto ou à aeronave — fato que costuma ser raros em acidentes deste gênero.

Por enquanto, as causas do acidente ainda estão sendo investigadas, mas não há informações concretas sobre a origem do incêndio. Além disso, para a Boeing, esse acidente representa mais do que um simples problema, já que o seu futuro no rumo da aviação depende do desempenho do modelo 787.