(Fonte da imagem: Reprodução/Wired)

A Paris Air Show está cheia de novidades para quem é apaixonado por aviação e, embora os grandes astros dessa edição tenham sido os drones, soluções inteligentes para companhias aéreas também ganharam destaque na feira.

Uma das inovações mais interessantes vistas por lá foi o projeto Electric Green Taxiing System (EGTS), que usa motores elétricos para o taxiamento de um Airbus A320 e seria capaz de economizar um sexto do combustível utilizado antes em terra, o que significaria uma média de 700 litros em um dia (para o A320 ou o 737 da Boeing).

Os motores ficam ligados às rodas do avião e a economia acontece por acabar com a necessidade de ativar o motor principal antes da decolagem. Além disso, o sistema seria capaz de economizar tempo, já que os pilotos passam a ter mais autonomia e não precisam esperar por rebocadores, o que em muitos casos causa atrasos nos voos.

De acordo com Olivier Savin, da Safran, empresa responsável pelo projeto, o EGTS pode fazer com que o tempo para taxiamento seja reduzido pela metade. O sistema utiliza dois motores de 50 kVA (~67 hp) montados entre as duas rodas do trem de pouso principal, abaixo das asas, mas apenas a roda externa está conectada ao motor. A alimentação é fornecida pela unidade auxiliar de potência, que é utilizada em aviões para fornecer energia antes da decolagem.

(Fonte da imagem: Reprodução/Wired)

Ao todo, a economia de combustível pode chegar a 4% ao longo do ano, no entanto isso exige que as companhias abram mão de 660 quilos na aeronave, peso de todos os equipamentos para que o EGTS funcione.

No entanto, os criadores do sistema sabem que o EGTS não é uma alternativa inteligente para aviões que percorrem longos trajetos, já que a economia de combustível acaba sendo pequena em relação a todo o voo, o que não justificaria o peso carregado ao longo do trajeto.

De qualquer forma, a Safran já está negociando com fabricantes de aeronaves para que o sistema seja instalado em aviões que percorrem pequenos trechos, em que o tempo diário de taxiamento seja grande.

Desde que o EGTS foi apresentado ao mercado, diversas demonstrações já foram feitas, incluindo manobras como giros de 360º sob diferentes condições de pista, provando a estabilidade do sistema. O próximo passo será dado agora, com a demonstração de manobras em alta velocidade.