(Fonte da imagem: Reprodução/Ellen M. Banner para The Seattle Times)

O Boeing 777 é considerado o maior avião bi-jato do planeta, podendo transportar até 368 passageiros — dependendo do modelo da aeronave. Uma das características marcantes dessa linha é a sua envergadura, que pode alcançar quase 65 metros.

Assim, você pode imaginar a grande área ocupada por suas asas e o trabalho que elas dão para a equipe de pintura da companhia norte-americana. Para aperfeiçoar essa etapa do processo produtivo da aeronave, a Boeing passou a usar robôs-pintores super-rápidos.

Conforme revela o jornal The Seattle Times, o procedimento quando feito por uma equipe de humanos chega a levar 4,5 horas. Com o uso das novas tecnologias, esse tempo caiu para meros 24 minutos — promovendo um enorme corte de custos.

O sistema de robôs é chamado de Automated Spray Method (ASM) e, além de pintar, lava e escova as asas. Os braços robóticos se movem com uma velocidade incrível e contam com duas pistolas de tinta independentes, o que permite a aplicação de duas camadas em locais próximos simultaneamente.

Embora essa técnica esteja sendo implementada em toda a estrutura dos aviões, Jason Clark, diretor de produção da Boeing, garante que cerca de 90% da produção das aeronaves ainda é feita por pessoas, e isso não deve mudar tão cedo.