(Fonte da imagem: Divulgação/All Nipon Airways)

Depois de diversas falhas apontadas, o modelo de avião Boeing 787 poderá ficar mais um ano sem decolar novamente. O modelo foi impedido de levantar voo novamente depois que uma série de problemas – cinco em aeronaves diferentes – foi constatada no início deste ano.

De acordo com especialista em química do MIT, uma das soluções que a Boeing poderia adotar seria a substituição das baterias de lítio-íon por modelos mais pesados, porém mais seguros, de hidreto de níquel metálico (NiMH). Contudo, esse processo de substituição das baterias nas aeronaves demoraria pelo menos um ano.

Desde o dia 17 de janeiro, os voos das aeronaves 787 estão suspensos no mundo todo pela Autoridade Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA). Além disso, nesta semana foi descoberto que, desde 2008, o governo japonês reduziu as exigências de segurança para o modelo da aeronave, fato que pode ter precipitado o lançamento do Boeing no mercado por conta de uma suposta pressão das companhias aéreas japonesas.