Não é preciso voltar ao 14-bis (o avião construído por Santos Dumont) para perceber que as aeronaves mudaram muito. Com a constante busca por melhorias na segurança e no conforto dos passageiros, diversos setores foram transformados com o auxílio da tecnologia e hoje representam uma nova fase na aviação civil. E isso não se limita somente aos aviões, mas vai também os serviços integrados a eles.

Mas como a tecnologia está influenciando nisso? Para começar, a fabricação dos aviões é cada vez mais segura e estável. Além disso, a manutenção das aeronaves também passa por processos rigorosos de fiscalização. Hoje, não ficaremos presos ao transporte, mas nosso foco será direcionado para as melhorias que começam a ser oferecidas para os consumidores. É claro, todas são ligadas à tecnologia.

Internet Wi-Fi nos voos

Hoje, quando um passageiro senta-se em sua poltrona no avião, é orientado pelas companhias aéreas a desligarem os celulares e também outros equipamentos que emitam frequências de comunicação. Mas em breve isso não será mais uma realidade, pois muitas empresas estão investindo em formas de disponibilizar sinal de internet para os passageiros.

(Fonte da imagem: Reprodução/The Verge)

A Delta já informou que começará a instalar sistemas de internet Wi-Fi para voos internacionais em cerca de 150 aviões. Atualmente, a empresa já oferece um sistema similar para 550 trechos domésticos (sem sair do país) nos Estados Unidos. Outra companhia aérea que está investindo na expansão é a US Airways, que pretende disponibilizar o serviço em uma grande quantidade de aeronaves.

Tanto a Delta quanto a US Airways estão investindo no sistema ATG-4, criado pela Gogo. Com ele, cada avião pode chegar a receber sinal com velocidade de 9,8 Mbps. É claro que a banda será distribuída entre todos os passageiros que decidirem pagar pelo serviço, por isso a taxa de transferência para cada pessoa será mais baixa do que isso – mesmo assim, o avanço é significativo.

Ainda sem companhias aéreas, a HoneyWell também promete muitos avanços para a internet nos aviões. Segundo uma nota publicada em seu site oficial, uma parceria entre a HoneyWell e a Inmarsat pode resultar em conexões de até 50 Mbps nas aeronaves, o que significaria uma melhoria espetacular nos sistemas de transmissão de dados.

Tablets para os passageiros

Sistemas de entretenimento em aviões são excelentes para distrair quem não consegue relaxar durante as viagens. O problema é que eles são muito pesados e, em muitos casos, desatualizados em relação ao que muitos passageiros esperam. Por isso, algumas companhias aéreas já começaram a trocar os equipamentos para tablets.

A companhia Scoot afirma que disponibiliza iPads com cerca de 50 GB com músicas, jogos, programas de televisão e filmes, sendo que a cada dois meses o conteúdo é atualizado. O serviço só é gratuito para passageiros de classe executiva, pois para a classe econômica eles custam 17 dólares para cada passageiro.

(Fonte da imagem: Reprodução/Bloomberg)

Além da Scoot, a American Airlines já começa a disponibilizar tablets para passageiros. Trata-se do Samsung Galaxy Tab, que será oferecido para a primeira classe e para a classe executiva dos aviões. O Android utilizado pelo tablet foi completamente redesenhado pela companhia aérea e oferece alguns aplicativos exclusivos, além de jogos, músicas e filmes consagrados.

Até mesmo alguns aeroportos dos Estados Unidos e Canadá começam a oferecer tablets para que os passageiros tenham com o que se distrair enquanto aguardam horas por seus voos. Estima-se que nos próximos anos, cerca de 100 mil iPads sejam disponibilizados em vários aeroportos da América do Norte.

Também para pilotos

Também para eliminar peso, muitas empresas de aviação têm substituído os guias eletrônicos de instruções das aeronaves por tablets. Com isso, o combustível é economizado e as aeronaves conseguem realizar os mesmos percursos com menores gastos para as companhias aéreas.

(Fonte da imagem: Reprodução/Airbus)

Até mesmo a Força Aérea Norte-Americana adotou a prática. Em março, cerca de 18 mil iPads foram encomendados para se tornarem companheiros de viagem de pilotos por todo o país. A redução de peso nesse caso é impressionante, pois enquanto um guia eletrônico possui 18 kg, um tablet possui menos de 1 kg.

Localização em tempo real

A empresa de serviços de localização Skyhook ainda não revelou com detalhes como fará isso, mas promete que seu novo kit de desenvolvimento possui ferramentas que permitem a localização de aeronaves em tempo real. Segundo o The Verge, a explicação mais plausível para isso está no rastreamento por meio de redes Wi-Fi instaladas nas aeronaves. Será que em breve teremos apps em smartphones com informações de localização?

Também em relação à localização, mas em solo, temos o novo app da Qantas Airlines para Windows Phone. O app (que pode ser baixado por este link) obtém informações sobre voos e informa aos clientes qual o melhor horário para sair de casa e também permite que o check-in seja feito pelo aplicativo, por exemplo.

.....

Essas são apenas algumas das mudanças que a tecnologia está proporcionando para a aviação civil. Especula-se que em alguns anos os sistemas de escaneamento utilizados para procurar armas e itens suspeitos em bagagens e passageiros seja aperfeiçoado para aprimorar a segurança dos voos.

Além disso, não devem demorar para que os primeiros recursos ligados ao NFC comecem a ser disponibilizados também. Quais são as suas apostas para as próximas tecnologias que serão empregadas aos voos comerciais?

Fontes: Delta, The Verge, PR Newswire, HoneyWell, Bloomberg, Airbus e Skyhook Wireless