(Fonte da imagem: Reprodução/Teague)

Quando você pensa em um avião com um belo design, o que vem à cabeça normalmente é o exterior do veículo, a localização de asas e turbinas e seus formatos, por exemplo. Mas o interior do avião é tão importante quanto – especialmente para o passageiro, que vai ficar a viagem toda lá dentro.

Segundo a Smithsonian, no caso da Boeing, a grande responsável por isso é a Teague. Apesar de anônima, ela está por trás da criação do interior de aviões da empresa desde a década de 1940. O modelo 737 Stratocruiser, desenvolvido a partir de um veículo militar, tinha espaço de sobra que precisava ser aproveitado – são quase 200 m³ para apenas 100 passageiros.

O gigante Boeing 737, com muito espaço livre em seu interior. (Fonte da imagem: Reprodução/Teague)

No começo, era comum a ideia de que os passageiros não deviam passar horas em seus assentos. O Stratocruiser, como mostra a imagem acima, possuía um projeto de lounge para 14 pessoas com cama, sofás e um bar completo, tudo acessado a partir de uma escada circular localizada no centro da aeronave.

O futuro

Já o 787 Dreamliner, modelo bem mais recente da Boeing, conta com um sofá iluminado por LEDs para garantir um momento de relaxamento e conversa sem atrapalhar o descanso dos demais.

(Fonte da imagem: Reprodução/Teague)

A ideia da vez é apostar em espaços vazios, tirando a sensação claustrofóbica sentida por alguns passageiros. Também assinado pela Teague, o design interior tem como objetivo o passageiro sentir que aquela viagem é a primeira – e mais espetacular – em um avião.

Fonte: Smithsonian