(Fonte da imagem: Reprodução/ThinkStock)

Os carros com piloto automático dispensam o motorista e fazem trajetos inteiros de maneira impressionante – mas e se isso fosse possível com aviões? É esse o pensamento de dois professores da Universidade Politécnica de Madrid, que criaram um sistema de autocondução e anticolisão para aeronaves.

O sistema é baseado em um algoritmo de aprendizagem por simulação, mais ou menos o que acontece quando o personagem Neo aprende kung fu em poucos segundos em “Matrix”: o programa instalado no avião “baixa” para o veículo uma série de dados relativos aos comandos e às características de voo específicas daquele modelo, para que ele voe sozinho e sem problemas.

Além disso, o aplicativo identifica prédios e outros veículos em seu espaço aéreo e entra em “harmonia” com todos os elementos próximos, evitando acidentes. Ele também percebe alterações no clima, manobrando sozinho para longe da área de risco.

De acordo com os cientistas, o movimento é tridimensional e de resposta rápida, evitando até mesmo batidas que parecem certeiras – tudo sem precisar de um humano nos comandos. Como o desenvolvimento do sistema já passa de 10 anos, o desafio agora é atualizá-lo para o tráfego aéreo atual e para a realização de pousos e decolagens em aeroportos lotados.